sicnot

Perfil

Desporto

Taça grega volta a ser disputada após suspensão por confrontos

O representante da FIFA Kostakis Koutsokoumnis anunciou hoje que a Taça da Grécia vai voltar a ser disputada, cumprindo o anseio da entidade que tutela o futebol internacional, após suspensão provisória da competição por confrontos.

"Chegámos a um acordo. Existe um compromisso em voltar a ter a Taça da Grécia", comunicou Koutsokoumnis, que acumula o cargo de presidente da Federação Cipriota de Futebol com as funções na FIFA, depois de reunião com o ministro do Desporto e com o presidente da Federação de Futebol helénicos.

Há um mês, o ministro do Desporto grego, Stavros Kontonis, tinha anunciado a suspensão da taça, após confrontos ocorridos na primeira mão da meia-final entre PAOK e Olympiacos, em Salónica, a 2 de março. O árbitro interrompeu o jogo por falta de condições de segurança, depois de o treinador português Marco Silva ter sido atingido por uma garrafa.

Apesar da decisão provisória, motivada por receio de um acréscimo de violência, a FIFA alertou a Grécia para a possível exclusão dos clubes e seleções do país de futuras competições internacionais, estabelecendo um prazo para a decisão oficial até 15 de abril.

Agora, o responsável da FIFA adiantou não só o recomeço da prova, como as possíveis medidas preventivas a aplicar: "Os jogos podem ser organizados fora de Atenas. Se calhar sem espetadores ou, unicamente, com crianças no recinto. Vai ser decidido na sexta-feira."

A segunda mão do jogo interrompido estava marcada para 7 de abril, com o Olympiacos a receber o PAOK, ficando agora por saber a data e o recinto da partida, mantendo-se até a possibilidade de se nomearem árbitros estrangeiros para a restante competição.

Lusa

  • Paula Brito e Costa continua a trabalhar na Raríssimas

    País

    Depois de ter apresentado a demissão do cargo de presidente da Raríssimas, Paula Brito e Costa mantém-se a exercer funções na associação, apurou a SIC. Identifica-se agora como diretora-geral e já comunicou isso mesmo a alguns funcionários.

  • As IPSS são estruturantes no país. Fazem o que Estado não faz porque não pode, não quer, ou não chega a tudo. Chama-se sociedade civil a funcionar. E o Estado subsidia, ajuda, (com)participa, apoia. Nada contra. A questão é quando as IPSS e outras instituições, fundações, associações, federações e quejandas se tornam verdadeiras "indústrias".

    Pedro Cruz

  • O ano "saboroso" de António Costa
    0:51

    País

    António Costa diz que 2017 foi um ano "saboroso" para Portugal. Num encontro com funcionários portugueses, em Bruxelas, antes do Conselho Europeu desta quinta-feira, o primeiro-ministro realçou o que o país conquistou no último ano, no plano europeu, e que culminou com a eleição de Mário Centeno para a Presidência do Eurogrupo.

  • Lince ibérico esteve à venda no OLX

    País

    Um anúncio de venda de um lince ibérico, por 1.500 euros, foi publicado esta semana no site de classificados OLX, com uma morada de Alcoutim, no Algarve. A autenticidade da publicação não foi confirmada, mas em setembro foi encontrada a coleira de um lince ibérico precisamente em Alcoutim. As autoridades estão a investigar.

    SIC

  • Estabilização dos solos nas áreas ardidas
    1:58

    País

    Está a começar uma intervenção de emergência para estabilizar os solos nas áreas ardidas nos incêndios florestais. O trabalho das equipas que estão no terreno arrancou na zona da Lousã mas vai passar por vários concelhos como Pampilhosa da Serra e Vila Real.