sicnot

Perfil

Desporto

Ultramaratonista Carlos Sá termina Maratona das Areias em oitavo lugar

O português Carlos Sá caiu um lugar e terminou a Maratona das Areias em oitavo, depois de ter concluído hoje a quinta e última etapa no oitavo posto na corrida no deserto do Saara, em Marrocos.

© Lucy Nicholson / Reuters

O ultramaratonista de Barcelos concluiu os 42,2 quilómetros da derradeira etapa, entre Hassi Tarfa e Bou Makhlouf, em 3:39.46 horas, a 28.14 minutos do marroquino Abdelkader El Mouaziz, que foi o primeiro a destronar o compatriota Rachid El Morabity, terceiro hoje, mas vencedor da geral.

Carlos Sá concluiu a competição em 23:59.57 horas, a 2:58.36 de Morabity, que bateu os compatriotas Mouaziz e Aziz El Akad por 4.17 e 1:06.09, respetivamente.

Carlos Sá, que tem como melhores desempenhos na Maratona das Areias os quartos lugares em 2012 e 2014, anunciou antes da competição que esta poderia ser a derradeira participação na prova marroquina.

Numa prova com um recorde de 1.300 inscritos, Portugal esteve ainda representado por António Marinho, que foi 67.º, a 11:38.01, José Silva, 72.º, a 12:06.52, Carlos Soares, 179.º, a 21:57.01, e João Silveira, 189.º, a 22:19.55,

Lusa

  • "É pesado dizer a miúdos que ainda ontem os pais estavam a ensinar o atar ténis que vão ficar em prisão preventiva"
    2:49
  • Pecado da gula ameaça maior anfíbio do mundo

    Mundo

    O maior anfíbio do mundo está em sério risco de extinção. Iguaria muito apreciada no Oriente, a salamandra-gigante-da-China já praticamente desapareceu do seu habitat natural, concluiu uma pesquisa realizada durante quatro anos. Em contraste, milhões de animais são reproduzidos em cativeiro e têm como destino restaurantes de luxo.

  • Gases tóxicos expelidos pelo Kilauea ameaçam a população no Havai
    1:51
  • Gilberto Gil cancela atuação em Israel

    Cultura

    O músico brasileiro Gilberto Gil cancelou a atuação que tinha marcada para Telavive, em Israel, no dia 4 de julho, na sequência de protestos em Gaza durante os quais o exército daquele país matou 60 palestinianos.