sicnot

Perfil

Desporto

Estudo avalia transferência de Ronaldo em 101 M€ e de Messi em 141 M€

Um estudo da Universidade Politécnica de Valência (UPV) avaliou em 101 milhões de euros (M€) uma hipotética transferência do futebolista internacional português Cristiano Ronaldo, menos 40 M€ do que a do rival argentino Lionel Messi.

Arquivo

Arquivo

© Eric Gaillard / Reuters

O estudo, que será objeto de análise de um curso na UPV, com o apoio do Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT) e da Universidade de Harvard, teve em consideração múltiplas variáveis para atingir a soma de 101 ME para o avançado do Real Madrid e de 141 M€ para o do FC Barcelona.

Os professores da universidade valenciana tiveram em conta o número de golos por jogo marcados pelos dois jogadores, de assistências, de cartões amarelos e vermelhos e as receitas geradas em produtos relacionados pelos dois jogadores comercializados pelos respetivos clubes.

Na componente estritamente desportiva, foram avaliados os números de Ronaldo e Messi durante a época 2014/2015 e na atual na Liga espanhola, Taça do Rei de Espanha, Supertaça espanhola, Mundial de clubes e Liga dos Campeões.

O argentino é o atual detentor da Bola de Ouro, que distingue o melhor futebolista mundial do ano anterior, troféu que conquistou por cinco vezes (2009, 2010, 2011, 2012 e 2015), contra três do português (2008, 2013 e 2014).

  • Quando se pode circular pela esquerda? A GNR explica (e fiscaliza)
    5:46

    Edição da Manhã

    A regra aplica-se a autoestradas e outras vias com esse perfil mas dentro das localidades há exceções. A Guarda Nacional Republicana está a promover em todo o território nacional várias ações de sensibilização e fiscalização no sentido de prevenir e reprimir a circulação de veículos pela via do meio ou da esquerda quando não exista tráfego nas vias da direita. O major Paulo Gomes, da GNR, esteve na Edição da Manhã. 

  • O pedido de desculpas de Dijsselbloem
    2:12

    Mundo

    O Governo português continua a mostrar a indignação que diz sentir perante as declarações do presidente do Eurogrupo. O ministro dos Negócios Estrangeiros português garante que com Dijsselbloem "não há conversa possível". Jeroen Dijsselbloem começou por recusar pedir desculpa mas depois cedeu perante a onda de indignação.

  • A primeira vez do Sr. Árbitro
    12:41