sicnot

Perfil

Desporto

Jorge Lorenzo deixa a Yamaha no final da temporada de MotoGP

A Yamaha anunciou hoje a saída do espanhol Jorge Lorenzo, atual campeão mundial de MotoGP, no final da temporada, depois de nove anos ao serviço da equipa nipónica.

© Heino Kalis / Reuters

"A Yamaha Motor Co. anuncia que o seu vínculo contratual com Jorge Lorenzo terminará no final da temporada de MotoGP de 2016, altura em que Lorenzo enfrentará novos desafios", anunciou a marca em comunicado.

A equipa garante estar "extremamente grata" pela contribuição que Jorge Lorenzo deu à marca e admite esperar "mais momentos memoráveis durante a presente temporada".

A Yahama deseja "um futuro auspicioso" a Jorge Lorenzo e assegura "total apoio" ao piloto espanhol, que procura o seu quarto título mundial na categoria rainha do motociclismo de velocidade.

Desde de que chegou à Yahama, em 2008, Lorenzo conseguiu três títulos mundiais (2010, 2012 e 2015), tendo vencido 41 corridas e subido 99 vezes ao pódio, em 141 provas.

Segundo o jornal italiano Gazzeta Dello Sport, a Ducati deverá anunciar ainda hoje a contratação de Jorge Lorenzo.

Em meados de março, a Yahama anunciou o prolongamento do contrato, até 2018, com o italiano Valentino Rossi, detentor de sete títulos mundiais de MotoGP.

Lusa

  • Casa Branca isolada devido a pacote suspeito

    Mundo

    A Casa Branca foi esta terça-feira isolada devido à presença de um pacote suspeito junto a uma das vedações que limitam o edifício governamental norte-americano. A situação já foi normalizada e o objeto retirado do local.

  • Inspetores do SEF cansados das promessas do Governo
    1:00

    País

    O sindicato do SEF garante que a segurança contra o terrorismo vai ser assegurada na greve de quinta-feira e sexta-feira nos aeroportos. Acácio Pereira, do sindicato, diz que os inspetores são quase escravos e que estão fartos das promessas do Governo. A greve deverá afetar cerca de 30 mil pessoas. 

  • Graça Fonseca, a primeira governante a assumir-se homossexual
    1:02

    País

    A secretária de Estado da Modernização Administrativa deu uma entrevista ao Diário de Notícias onde assume a sua homossexualidade. É a primeira vez que um governante português o faz. Graça Fonseca assume esta posição pública como uma "afirmação política".