sicnot

Perfil

Desporto

Scolari acredita que a Superliga chinesa será "uma das melhores do mundo"

O treinador do Guangzhou Evergrande, o brasileiro Luiz Felipe Scolari, disse estar confiante de que a Superliga chinesa de futebol vai converter-se "numa das melhores competições do mundo" nos próximos anos.

© Dominic Ebenbichler / Reuters

Em entrevista ao jornal britânico The Sun, o antigo selecionador de Portugal e do Brasil e atual técnico dos pentacampeões chineses disse "estar muito feliz" na China, um país com "uma cultura diferente e um estilo de vida diverso".

"Sei que o Presidente do país [Xi Jinping] está motivado e apoia o futebol", assinalou.

No total, as 16 equipas que disputam a Superliga Chinesa de futebol investiram esta época cerca de 317 milhões de euros na contratação de jogadores estrangeiros, mais 92% do que gastaram na temporada interior.

No passado dia 08 de abril, o técnico brasileiro referiu à agência Lusa que a atual edição do campeonato chinês "será a mais disputada de sempre", face à "qualidade das contratações e evolução dos jogadores chineses".

"Este ano, teremos no mínimo seis equipas a disputar o título até ao final e mais quatro que deverão surpreender", afirmou, à margem de uma conferência de imprensa no Estádio dos Trabalhadores, na zona oriental de Pequim.

Em 2015, o Guangzhou sagrou-se pentacampeão, após uma renhida luta frente ao Shanghai SIPG, conjunto orientado por Sven-Goran Eriksson, tendo vencido ainda a Liga dos Campeões asiática.

Na entrevista ao The Sun, Scolari, que comandou o Chelsea entre julho de 2008 e fevereiro de 2009, advertiu também o italiano Antonio Conte, recém-contratado para orientar o conjunto inglês nas próximas três temporadas, que não há preparação possível para treinar os 'blues', nem para trabalhar na Liga inglesa.

"Podes ganhar o Mundial e o Campeonato da Europa e ser o melhor treinador do planeta, mas nada te prepara para um trabalho como o de dirigir o Chelsea", afirmou.

"Quando vês que um técnico tão sucedido e inteligente como [José] Mourinho é despedido por duas ocasiões dás-te conta do quão complicado é", concluiu Scolari.

Lusa

  • Paulo Macedo pede calma para o bem do banco
    1:45

    Caso CGD

    Paulo Macedo falou pela primeira vez desde que foi eleito o novo Presidente da Caixa Geral de Depósitos e, para o bem do banco público, pediu calma a todos. Passos Coelho veio dizer que a recapitalização da Caixa pode ter de ser feita no verão do próximo ano para salvaguardar o défice deste ano. Já António Costa preferiu não comentar as declarações de Passos e diz que o banco público há muito que precisava de ser recapitalizado.

  • Condutores continuam com dúvidas em como circular numa rotunda
    2:06

    País

    Circular nas rotundas continua a ser um problema para muitos condutores. Cerca de 3 mil foram multados nos últimos três anos depois da entrada em vigor do novo código, os números são avançados pela Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária. Os instrutores de condução dizem que a medida provoca mais confusão nas horas de ponta.

  • O que aconteceu à menina síria que relatava a guerra no Twitter?
    1:59
  • Youtuber Miguel Paraiso escreveu uma paródia musical para a Reportagem da SIC "Renegados"
    1:27

    Grande Reportagem SIC

    O youtuber Miguel Paraiso escreveu uma paródia musical para a Grande Reportagem SIC "Renegados". Desde ontem já teve 67 mil visualizações no Facebook. Imagine que ia renovar o cartão de cidadão e diziam-lhe que afinal não é português? Mesmo tendo nascido, crescido, estudado e trabalhado sempre em Portugal? Foi o que aconteceu a inúmeras pessoas que nasceram depois de 1981, quando a lei da nacionalidade foi alterada.«Renegados» é como se sentem estes filhos de uma pátria que os excluiu. Para ver, esta quarta-feira, no Jornal da Noite da SIC.

  • "A nossa guerra não deixou heróis, só vilões e vítimas"
    5:26

    Mundo

    Luaty Beirão é o rosto mais visível de um movimento de contestação ao regime angolano que começou em 2011, ano da Primavera árabe. Mas a par dos 15+2, mediatizados num processo que os condenou por lerem um livro, outros activistas arriscam diariamente a liberdade.