sicnot

Perfil

Desporto

Jorge Lorenzo justifica ida para a Ducati com necessidade de mudança

O atual campeão do mundo de MotoGP, o espanhol Jorge Lorenzo, justificou hoje a troca no final da temporada da Yamaha pela Ducati, equipa que irá representar em 2017 e 2018, com a necessidade que sentiu de mudar.

© Heino Kalis / Reuters

"Senti que precisava de uma mudança, um novo desafio na minha carreira, estabelecer novas metas e manter a minha ambição ao mais alto nível", explicou Jorge Lorenzo, acrescentando que só tem palavras de gratidão para com a "família Yamaha", na véspera dos primeiros treinos livres para o Grande Prémio de Espanha, quarta prova do Mundial.

Além do título que ostenta, o maiorquino Jorge Lorenzo foi também campeão do mundo em 2010 e 2012, sempre pela Yamaha, pela qual se estreou em MotoGP em 2008, tendo vencido 41 corridas e subido 99 vezes ao pódio, em 141 provas.

"Tenho muito mais do que sempre sonhei. O que acontece no futuro é imprevisível, mas a partir de agora quero aproveitar as 15 corridas que me restam com a Yamaha para tentar ganhar o título, que agora é o meu único objetivo", disse.

Em relação ao GP da Espanha, no próximo fim de semana, Jorge Lorenzo disse que Jerez é um dos seus circuitos favoritos "pelo traçado especial da pista, o ambiente e os aplausos do público nas arquibancadas".

Na atual temporada, e após três provas, Lorenzo ocupa a segunda posição do campeonato, com uma vitória, sendo que no próximo fim-de-semana competirá em 'casa'.

Com a anunciada contratação de Jorge Lorenzo, a Ducati espera voltar a lutar por títulos mundiais que lhe fogem desde 2007, na altura alcançado pelo australiano Casey Stoner.

Esta época, a Ducati conta com os italianos Andrea Dovizioso e Andrea Iannone e até ao momento conseguiu dois pódios em três corridas: a equipa ainda não revelou qual deles sairá para compensar a entrada do espanhol.

A Yamaha já confirmou que continuará como italiano Valentino Rossi, sete vezes campeão do Mundo de MotoGP e que que recentemente renovou o seu contrato com a marca japonesa até 2018, faltando agora revelar quem será o seu parceiro a partir de 2017.

Além dos três títulos mundiais em MotoGP, Jorge Lorenzo foi campeão de 250 cc em 2006 e 2007.

Lusa

  • PSD e CDS assinalam 36º aniversário da morte de Francisco Sá Carneiro
    1:38

    País

    O presidente do PSD deixou críticas ao Partido Comunista, este domingo, a propósito do aniversário da morte de Francisco Sá Carneiro. Pedro Passos Coelho lembrou os festejos dos comunistas na altura, numa resposta a quem questionou a abstenção dos sociais-democratas ao voto de pesar a Fidel Castro, que o PCP levou ao Parlamento. Este domingo, tanto o PSD como o CDS-PP prestaram homenagem a Sá Carneiro e Adelino Amaro da Costa.