sicnot

Perfil

Desporto

Belenenses informa que Vicente Lucas teve de amputar "um segundo membro inferior"

O Belenenses anunciou hoje que o antigo futebolista Vicente Lucas, que fez parte da seleção portuguesa que disputou o Mundial de 1966 e sofre de gangrena no pé esquerdo, teve de amputar "um segundo membro inferior".

"Vem a Direção do Clube de Futebol 'Os Belenenses' informar que, tal como foi dado a conhecer, Vicente Lucas foi na noite de ontem [quarta-feira] submetido a uma intervenção cirúrgica no Hospital de São Francisco Xavier, sendo agora possível comunicar que a operação decorreu em conformidade com o esperado pela equipa médica, não tendo sido possível evitar a amputação de um segundo membro inferior", lê-se no sítio do emblema do Restelo.

Ainda assim, o clube lisboeta revela que Vicente Lucas "está estabilizado", após esta segunda intervenção cirúrgica.

Em 01 de março, o Belenenses deu conta da hospitalização do "maior símbolo vivo" do clube, para cirurgia.

O jornal Record noticiou no passado dia 23 de fevereiro que o antigo jogador dos 'azuis', de 80 anos, corria o risco de amputação do pé esquerdo, devido a gangrena.

Irmão de Matateu, Vicente Lucas nasceu em Maputo e vestiu a camisola do Belenenses entre 1954/55 e 1966/67, tendo conquistado a Taça de Portugal, em 1959/60.

Vicente Lucas terminou a carreira de futebolista aos 31 anos devido a uma lesão na vista, na sequência de um acidente de viação, em outubro de 1966, pouco depois de se ter celebrizado com a marcação a Pelé na vitória lusa frente ao Brasil, por 3-1, no Campeonato do Mundo, numa das 20 ocasiões em que vestiu a camisola das 'quinas'.

Lusa

  • Fuga de Vale de Judeus em junho de 1975 no Perdidos e Achados
    0:36

    Perdidos e Achados

    Prisão Vale de Judeus, final de tarde de domingo, dia 29 de junho de 1975. O plano da fuga terá sido desenhado por uma vintena de homens. Serrada a presiana metálica era preciso passar, para fora do edifício, as cabeceiras dos beliches onde os presos dormiam. Ao longo de cerca de uma hora 89 detidos, agentes da PIDE/DGS, a Polícia Internacional e de Defesa do Estado português extinta depois da revolução de 1974, fogem do estabelecimento prisional.

    Segunda-feira no Jornal da Noite