sicnot

Perfil

Desporto

FIFA cria comissão para avaliar condições de trabalho no Mundial 2022

O presidente da FIFA, o ítalo-suíço Gianni Infantino, anunciou hoje a criação de uma comissão independente de acompanhamento das condições de trabalho na construção dos estádios para o Mundial de futebol de 2022, no Qatar.

© Naseem Mohammed Bny Huthil /

Na primeira visita ao Qatar como líder da FIFA, Infantino disse que as condições dos trabalhadores são agora "adequadas", após múltiplas acusações de violação dos seus direitos por parte de várias organizações, reafirmando que a competição vai, "evidentemente, realizar-se no Qatar".

"A composição deste novo organismo será dirigida pela FIFA e integrará pessoas de todos os setores da sociedade civil", precisou o organismo regulador do futebol mundial, em comunicado.

Colocado sob pressão por várias organizações, o Qatar já tinha anunciado a criação de um programa que visa proteger e garantir o bem-estar de milhares de trabalhadores estrangeiros.

A comissão organizadora da competição anunciou, entre outras, a aprovação de "normas de bem-estar dos trabalhadores" e de um sistema de controlo que permite aos responsáveis pela organização "verificar se todos os trabalhadores recebem o salário adequado e em tempo útil".

A Amnistia Internacional denunciou a "exploração alarmante" dos trabalhadores estrangeiros no Qatar, em especial os de origem asiática, que a organização não-governamental de defesa dos direitos humanos disse estarem a ser "tratados como animais".

O Mundial de futebol de 2022 vai disputar-se entre 21 de novembro e 18 de dezembro, tornando-se o primeiro na história do futebol que decorrerá fora de maio, junho ou julho, para evitar as temperaturas elevadas (acima de 40º Celsius) que se registam no Qatar durante esses meses.

Lusa

  • Jovens adoptados e filha do líder da IURD com versões diferentes dos acontecimentos
    4:06

    País

    Os jovens adoptados e a filha do bispo Edir Macedo, que alegadamente os adoptou, têm versões diferentes sobre o que aconteceu. Vera e Luís Katz garantem que foram adoptados por uma família norte-americana, com que viveram até aos 20 anos. Viviane Freitas, filha do líder da Igreja Universal do Reino de Deus, conta que foi mãe das crianças durante três anos, apesar de lhe ter sido negada a adopção.

  • Cabecilha da seita Verdade Celestial é "mentiroso, egocêntrico e psicótico"
    2:22

    País

    O cabecilha da seita "Verdade Celestial" foi condenado a 23 anos de pena de prisão por abusos sexuais de crianças e adolescentes. O juiz diz que o cabecilha do grupo era mentiroso patológico, egocêntrico, impulsivo e com personalidade psicótica. Dos oito acusados, duas mulheres foram absolvidas e seis arguidos foram condenados a penas efectivas. A rede de abusadores foi desmantelada há dois anos, numa quinta de Palmela.

  • Mau tempo obriga ao cancelamento de centenas de voos na Europa
    1:21