sicnot

Perfil

Desporto

Hélder Rodrigues fecha o pódio no Rali do Qatar

O motard português Hélder Rodrigues (Yamaha) terminou esta sexta-feira no terceiro lugar o rali do Qatar, segunda prova da Taça do Mundo de todo-o-terreno, na qual Ricardo Porém (Mini) foi sétimo classificado na categoria de automóveis.

Hélder Rodrigues está, ainda assim, a mais de três horas do líder, Marc Coma.

Hélder Rodrigues está, ainda assim, a mais de três horas do líder, Marc Coma.

MARIO RUIZ / Lusa

Hélder Rodrigues foi também o terceiro mais rápido na quinta e última etapa, na extensão de 350,94 quilómetros cronometrados, a 12.01 minutos do vencedor, o chileno Pablo Quintanilla (Husqvarna), que se impôs com o tempo de 4:00.07 horas.

Hélder Rodrigues terminou a competição a 30.46 minutos do vencedor, o britânico Sam Sunderland, que, aos comandos de uma KTM, se impôs por 9.38 a Quintanilla, segundo posicionado na classificação geral.

Nos automóveis, Porém foi o 13.º colocado na etapa conquistada pelo sul-africano Yazeed Al Rajhi, também ao volante de um Mini, concluindo o rali no sétimo posto, a 3:25.52 horas do vencedor, o catarense Nasser Saleh Al Attiyah (Toyota).

Lusa

  • Um retrato devastador do "pior dia do ano"
    2:47
  • Um olhar sobre a tragédia através das redes sociais
    3:22
  • "Estão a gozar com os portugueses, esta abordagem tem de mudar"
    6:45

    Opinião

    José Gomes Ferreira acusa as autoridades e o poder político de continuarem a abordar o problema da origem dos fogos de uma forma que considera errada. Em entrevista, no Primeiro Jornal, o diretor adjunto da SIC, considera que a causa dos fogos "é alguém querer que a floresta arda". José Gomes Ferreira sublinha que não se aprendeu com os erros e que "estão a gozar com os portugueses".

    José Gomes Ferreira

  • "Os portugueses dispensam um chefe de Governo que lhes diz que isto vai acontecer outra vez"
    6:32

    Opinião

    Perante o cenário provocado pelos incêndios, os portugueses querem um chefe de Governo que lhes diga como é que uma tragédia não volta a repetir-se e não, como disse António Costa, que não tem uma fórmula mágica para resolver o problemas dos fogos florestais. A afirmação é de Bernardo Ferrão, da SIC, que questiona ainda a autoridade da ministra da Administração Interna para ir a um centro de operações, uma vez que é contestada por toda a gente.

  • Portugal precisa de "resultados em contra-relógio, após décadas de desordenamento florestal"
    1:18