sicnot

Perfil

Desporto

Obras para os Jogos Olímpicos no Rio de Janeiro já provocaram 11 mortos

As obras realizadas para os Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, realizadas entre janeiro de 2016 e março último, causaram a morte de onze operários, segundo um relatório divulgado esta segunda-feira.

© Sergio Moraes / Reuters

De acordo com o levantamento, feito pela Superintendência Regional do Trabalho e Emprego do Rio de Janeiro e citado pela imprensa local, a linha 4 do metropolitano registou o maior número de mortes: três.

Outros acidentes ocorreram nas obras circundantes do Parque Olímpico, no Museu da Imagem e do Som, no Museu do Amanhã, nas obras de ampliação do Elevado de Joá, na Nova Subida da Serra, na Supervia e na Transolímpica.

Elaine Castilho, auditora fiscal e coordenadora do trabalho de fiscalização, acrescentou que houve ainda dois casos de acidentes graves, nomeadamente um choque elétrico no Parque Olímpico e uma amputação da perna de outro funcionário na Transbrasil.

"É um time (equipa) de futebol de mortos. Isso tudo causado por falta de planeamento, sem dúvida. É a correria na hora de finalizar", lamentou.

A Superintendência realizou 260 ações de fiscalização, com 1.675 autos de infração e 38 interdições e embargos.

Segundo o superintendente do Trabalho e Emprego do Rio, Robson Leite, citado pelo jornal Globo, os motivos das mortes são "falta de planeamento e corrida para cumprir o cronograma (de obras)".

"Acidente não acontece por acaso. Acontece por negligência, ou por falta de prevenção. A prefeitura (autarquia) vem falhando em relação à segurança do trabalho. Você tem que ter o Estado impedindo que as pessoas morram", referiu.

Os Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro realizam-se entre os dias 05 e 21 de agosto.

  • Marco Silva vai treinar o Watford

    Desporto

    O treinador português Marco Silva assinou contrato com o Watford, da Liga Inglesa. O emblema que terminou a última Premier League na 17ª posição, a última antes dos lugares de descida, ganhou assim a corrida ao Crystal Palace e ao FC Porto, que também tentaram contratar o técnico.

  • "A maior conquista foi construir estabilidade"
    2:14

    Economia

    António Costa voltou esta sexta-feira a garantir que a partir de junho nenhum subsídio de desemprego será inferior a 421 euros por mês. O primeiro-ministro falava nas jornadas parlamentares do PS, onde afirmou que a estabilidade é a maior conquista deste Governo.

  • Com a multiplicação de bons indicadores económicos e financeiros do país, multiplicam-se os elogios ao Governo e declaram-se mortas e enterradas as políticas do passado recente, nomeadamente a da austeridade. Nada mais errado. O que os bons resultados agora alcançados provam definitivamente é que a austeridade resolveu de facto os problemas das contas públicas e, mais do que isso, contribuiu para o crescimento económico que foi garantido por reformas estruturais e pela reorientação do modelo económico.

    José Gomes Ferreira

  • Raízes de ciência e rebentos de esperança
    14:14
  • Portugal pode ser atingido por longos períodos de seca

    País

    Portugal e Espanha podem ser atingidos até 2100 por 'megasecas', períodos de seca de dez ou mais anos, segundo os piores cenários traçados num estudo da universidade britânica Newcastle, que tem a participação de uma investigadora portuguesa.

  • G7 reforça compromisso na luta contra o terrorismo
    2:11
  • Uma foto para a história

    Mundo

    As mulheres dos líderes mundiais que se reúnem nas cimeiras da NATO posam para a fotografia oficial das primeiras-damas. A deste ano é histórica. Pela primeira vez, há um marido de um primeiro-ministro entre as nove mulheres. Trata-se de Gauthier Destenay, casado com o líder do Luxemburgo.