sicnot

Perfil

Desporto

Petrov quer voltar a jogar pelo Aston Villa depois de vencer cancro

O búlgaro Stiliyan Petrov anunciou hoje a vontade de regressar aos relvados de futebol, depois de ter abandonado o Aston Villa, em 2013, após um ano de combate a uma leucemia, detetada ainda em 2012.

© Darren Staples / Reuters

Aos 36 anos, e curado da doença oncológica, Petrov expressou, à imprensa britânica, o desejo de voltar a envergar a camisola do Aston Villa, histórico recém-despromovido à segunda liga inglesa.

"Decidi tentar voltar a jogar ao mais alto nível. Vão colocar-se muitas dúvidas e questões, mas acho que, se trabalhar bem, posso voltar à antiga forma. O Aston Villa continua a ser a minha prioridade", afirmou o ex-capitão da equipa londrina.

Depois de representar o Celtic, de 1999 a 2006, Petrov foi figura importante durante sete épocas do Aston Villa, pelo qual disputou 219 jogos, tendo até recebido o prémio de jogador do ano para os adeptos, em 2009.

Durante esta temporada, o búlgaro exerceu funções de treinador dos escalões jovens do Aston Villa.

Lusa

  • Bombeiros ficaram de prevenção após intoxicação em Corroios
    1:16

    País

    17 alunos da escola EB 2+3 em Corroios, no Seixal, foram hospitalizados esta segunda-feira com sintomas de intoxicação alimentar. Os alunos, entre os 7 e os 14 anos, foram transportados 12 para o hospital Garcia de Orta, em Almada e cinco para o hospital do Barreiro. O transporte foi feito pelos bombeiros voluntários da Amora e do Seixal mantiveram uma equipa de socorro no local apenas por prevenção.

  • "Nada mais há a dizer" sobre a Caixa
    0:13

    Caso CGD

    O primeiro-ministro voltou esta segunda-feira a dizer que já não há nada para discutir, na polémica sobre a entrega de declarações de património dos gestores da CGD. Foram as declarações de António Costa, na Cidade da Praia, à margem da quarta cimeira bilateral entre Portugal e Cabo Verde.

  • Venda do Novo Banco terá que ser negociada em Bruxelas
    0:43

    Economia

    A venda do Novo Banco vai ter que ser negociada com Bruxelas, uma vez que o Lone Star planeia agora ficar com 65% da instituição, obrigando o Estado a manter uma posição no banco. O ministro das Finanças lembra que esta também era uma possibilidade mas salienta que o assunto está nas mãos do Banco de Portugal.

  • Trump e os jornalistas: uma relação (su)rreal
    2:08
  • Modelo obrigada a prometer que não volta a arriscar a vida numa sessão fotográfica
    1:46