sicnot

Perfil

Desporto

Refugiado sírio transportou chama olímpica em Atenas

Ibrahim al-Hussein, um refugiado sírio de 27 anos que perdeu parte de uma perna na guerra, transportou hoje a chama dos Jogos Olímpicos Rio2016, durante a passagem do fogo por um campo de migrantes de Atenas.

© Alkis Konstantinidis / Reuter

Envergando a camisola oficial branca com manchas amarelas Rio2016, Ibrahim al-Hussein acendeu a sua tocha na do presidente do Comité Olímpico da Grécia, Spyros Kapralos, durante a passagem pelo campo de refugiados de Eleonas, que acolhe 1.620 pessoas.

"É uma honra para mim, é formidável não só para mim, mas para todos os refugiados", afirmou.

A passagem da chama olímpica pelo campo de refugiados foi uma promessa feita em finais de janeiro pelo presidente do Comité Olímpico Internacional (COI), Thomas Bach, que também anunciou a participação de uma delegação de atletas refugiados nos Jogos do Rio de Janeiro (05 a 21 de agosto).

Ibrahim al-Hussein, atualmente instalado na Grécia, mostrou ser o candidato ideal para fazer o percurso de 200 metros. "Os organizadores desejavam um refugiado que tivesse obtido asilo e que fosse um grande desportista", explicou o Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados.

Eletricista na Síria, Ibrahim al-Hussein, originário da zona problemática de Deir Ezzor, perdeu o pé direito num bombardeamento, antes de rumar à Grécia deixando para três 13 irmãos e irmãs.

Nadador de competição na Síria e judoca, Ibrahim faz tempos bastante competitivos na natação e pratica basquetebol em cadeira de rodas quase todos os dias, ao mesmo tempo que serve num restaurante.

A antiga atleta portuguesa Rosa Mota, medalha de ouro da maratona em Seul1988, foi uma das pessoas que transportou hoje a chama olímpica durante parte do percurso entre Maratona e Atenas. A tocha foi acesa na quinta-feira, na antiga cidade de Olímpia, e chegou hoje à capital grega, onde Rosa Mota venceu a sua primeira maratona, precisamente, na prova que marcava a sua estreia na distância, nos Europeus de 1982.

"Este local é especial, teve um grande impacto na minha vida e fez de mim a pessoa que sou hoje. Regressar aqui para transportar a tocha olímpica fez-me reviver muitas memórias felizes", disse Rosa Mota, em comunicado divulgado pelo Comité Olímpico de Portugal (COP), da qual é vice-presidente.

Da Grécia, a tocha segue para a sede do Comité Olímpico Internacional (COI), em Lausana (Suíça), estando marcada para 03 de maio a chegada ao Brasil, onde percorrerá 328 cidades de todos os estados até chegar ao Rio de Janeiro.

Lusa

  • O percurso dos rendimentos de Ronaldo
    3:43

    Desporto

    O Ministério das Finanças espanhol abriu uma investigação a Cristiano Ronaldo, por eventuais irregularides na declaração dos rendimentos da publicidade. A Gestifute, empresa do agente do avançado do Real Madrid, garante que Ronaldo tem os impostos em dia. A investigação aos documentos extraídos da plataforma informática Football Leaks, liderada pela revista alemã Der Spiegel, e da qual faz parte o jornal Expresso, conseguiu traçar o percurso dos rendimentos do melhor jogador do mundo.

  • Fábio Coentrão investigado por suspeita de delitos fiscais
    3:37

    Desporto

    O Ministério Público de Madrid acusou o defesa português Ricardo Carvalho de evasão fiscal e está a investigar Fábio Coentrão por eventuais delitos fiscais. Além dos dois portugueses a justiça acusou ainda o espanhol Xabi Alonso, o argentino Ángel Di María e investiga o colombiano Falcão. As investigações surgem depois da revelação do caso Football Leaks, investigada pelo Expresso e pelo consórcio europeu de jornalistas que tiveram acesso a milhões de documentos.

  • Mais cinco ilhas dos Açores sob aviso vermelho

    País

    O Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) elevou esta quarta-feira para vermelho o aviso para as cinco ilhas do grupo central dos Açores, onde no Faial o vento atingiu os 150 quilómetros por hora.

  • Votações sobre o mapa judiciário geram tensão no Parlamento
    2:01

    País

    O momento das votações no Parlamento ficou marcado por alguma tensão. Depois de aprovadas, em comissão, as alterações ao mapa judiciário, o PSD opôs-se a que o diploma fosse votado em plenário, uma vez que não fazia parte da versão inicial do guião de votações. A esquerda acusou os sociais-democratas de terem motivações estritamente políticas e não regimentais.

  • Uma alternativa aos serviços de enfermagem ao domicílio
    7:34
  • As primeiras palavras de um dos sobreviventes da Chapecoense
    0:29
  • Familiares de vítimas procuram destroços do MH370
    1:48

    Voo MH370

    Um grupo de familiares das vítimas do avião das linhas aéreas da Malásia, desaparecido em 2014, procuram destroços do aparelho em Madagáscar. As autoridades malaias estudam a posssibilidade de uma nova operação de buscas.

  • Primeiro-ministro em lágrimas ao reencontrar refugiado que recebeu no Canadá em 2015

    Mundo

    Justin Trudeau desfez-se em lágrimas no reencontro com um refugiado sírio, que ele recebeu no Canadá em 2015. No ano passado, Trudeau recebeu pessoalmente os refugiados no aeroporto, onde foi visto a entregar casacos de inverno aos migrantes. Esta segunda-feira, o primeiro-ministro conheceu algumas das famílias que se estabeleceram no país, numa reunião filmada pela emissora canadiana CBC.