sicnot

Perfil

Desporto

Olympiacos na final da Taça da Grécia após falta de comparência do PAOK

O Olympiacos, treinado pelo português Marco Silva, assegurou hoje presença na final da Taça da Grécia de futebol, por falta de comparência do PAOK Salónica no jogo da segunda mão das meias-finais, em Atenas.

© Alkis Konstantinidis / Reuter

O jogo estava previsto para 07 de abril, mas a competição foi suspensa depois de o encontro da primeira mão, disputado a 03 de março em Salónica, ter sido interrompido devido a atos de violência com adeptos. Marco Silva foi mesmo atingido por uma garrafa de água.

A justiça desportiva atribuiu vitória ao Olympiacos por 3-0, mas o governo decidiu posteriormente cancelar a realização da competição e só voltou a atrás por pressão da FIFA e da UEFA, que ameaçaram a Grécia com sanções de exclusão de competições internacionais de clubes e seleções.

O jogo da segunda mão foi então remarcado para hoje e os da outra meia-final, em que o AEK eliminou o Atromitos, para 20 e 26 de abril, todos à porta fechada, enquanto o PAOK foi ainda penalizado com perda de cinco pontos no campeonato e uma multa de 100.000 euros.

A final, que opõe Olympiacos e AEK a 07 de maio, em Atenas, vai ser presenciada apenas por estudantes convidados.

O proprietário do PAOK, Ivan Savvidis, já tinha dito que a equipa não iria comparecer no jogo se não fosse nomeado um árbitro estrangeiro e se não se demitisse o presidente da federação grega, Yorgos Guirtzikis.

"O PAOK decidiu não jogar hoje", disse Savvidis em comunicado, acrescentando que "não foi uma decisão fácil". O clube de Salónica, a quem é atribuída nova derrota por 3-0, pode enfrentar duras sanções por parte da federação.

Lusa

  • Fuga de Vale de Judeus em junho de 1975 no Perdidos e Achados
    0:36

    Perdidos e Achados

    Prisão Vale de Judeus, final de tarde de domingo, dia 29 de junho de 1975. O plano da fuga terá sido desenhado por uma vintena de homens. Serrada a presiana metálica era preciso passar, para fora do edifício, as cabeceiras dos beliches onde os presos dormiam. Ao longo de cerca de uma hora 89 detidos, agentes da PIDE/DGS, a Polícia Internacional e de Defesa do Estado português extinta depois da revolução de 1974, fogem do estabelecimento prisional.

    Segunda-feira no Jornal da Noite