sicnot

Perfil

Desporto

Telma Monteiro assume "desafio enorme" de chegar em forma aos Jogos Olímpicos

A judoca Telma Monteiro disse hoje que regressar em pleno a tempo dos Jogos Olímpicos Rio2016 vai ser "um desafio enorme", uma vez que, a 100 dias do início do evento, ainda não está a competir.

© Kai Pfaffenbach / Reuters

"Conto estar na minha melhor forma possível. Estamos aqui a assinalar 100 dias para os Jogos Olímpicos e eu ainda não posso fazer judo. É um desafio enorme, mas sempre gostei de desafios, e é mais um na minha carreira", afirmou.

À margem de uma cerimónia que assinalou os 100 dias para o início dos Jogos, Telma Monteiro, que foi operada a um joelho, garantiu que "a recuperação está a correr bem, felizmente", mas "ainda faltam algumas semanas para voltar ao tapete, voltar a fazer judo".

"Mas já tenho de estar a fazer preparação física, ginásio, corrida. Continuo a fazer fisioterapia diariamente e esse é o meu foco principal", assumiu.

A judoca assegurou que, "quando regressar aos tapetes e regressar aos treinos", vai "aproveitar cada dia ao máximo para chegar na melhor forma possível".

"Numa competição como esta qualquer resultado é possível. Não existem favoritos, por isso, é dar o meu melhor em cada combate. Encarar cada um como uma final, com seriedade e estratégia, e tentar avançar na competição", adiantou, quando questionada até onde poderá ir na categoria de -57 kg.

A recuperar da lesão, Telma Monteiro admite que voltará a treinar em maio e que espera em junho fazer alguma competição oficial.

Lusa

  • Português de 15 anos morre em estância de esqui em Espanha

    País

    Um jovem português morreu esta quarta-feira numa estância de esqui, em Espanha. O rapaz de 15 anos queixou-se de dores de cabeça e foi transportado para a Unidade de Cuidados de Saúde da Estância de Esqui, onde acabou por morrer.

    Em desenvolvimento

  • Europa num clima de tensão parecido ao dos anos que antecederam a 2.ª Guerra Mundial
    2:18

    Mundo

    O populismo e a demonização do outro estão a conduzir a Europa a um clima de tensão semelhante ao dos anos que antecederam a 2.ª Guerra mundial. A conclusão é do relatório anual da Amnistia internacional, que denuncia ainda que 2016 foi um ano de "implacável miséria e medo" para milhões de pessoas. Embalados pelo discurso do medo, vários governos recuaram nos direitos humanos.