sicnot

Perfil

Desporto

Michel Platini confiante de que vai ganhar recurso

Michel Platini confiante de que vai ganhar recurso

O presidente da UEFA, Michel Platini, suspenso por seis anos de toda a atividade no futebol, já chegou hoje a Lausana, na Suíça, para ser ouvido pelo Tribunal Arbitral do Desporto (TAS), no âmbito do recurso que apresentou. À chegada, disse estar confiante de que vai ganhar.

O ex-futebolista francês, que chegou a apresentar a candidatura à presidência da FIFA para as eleições realizadas este ano, foi condenado por abuso de confiança, conflito de interesses e gestão danosa no caso do pagamento de 1,8 milhões de euros feito pelo ex-presidente do organismo mundial, Joseph Blatter.

"Hoje é o início de um jogo, um novo jogo, uma final. Estou otimista e acredito que vou ganhar", disse Platini aos jornalistas à chegada ao TAS.

Blatter, também suspenso por seis anos, vai testemunhar igualmente no TAS no âmbito do recurso apresentado por Platini.

Com Lusa

  • Como não perder Barack e Michelle Obama nas redes sociais

    Mundo

    Sair da Casa Branca implica mais que reunir objetos físicos: é preciso guardar também os tweets, os posts e todo o conteúdo digital produzido nos últimos oito anos pelo Presidente dos EUA e pela primeira-dama. A equipa de Barack Obama já preparou tudo para que nada se perca do seu legado digital.

  • Portugueses querem contratar Obama

    Mundo

    Contratar Barack Obama. Pode parecer uma tarefa impossível, mas para a startup portuguesa Swonkie a única resposta a este desafio é "Yes We Can", mote da campanha presidencial de Obama de há nove anos.

  • Artista que criou poster de Obama quer invadir EUA com símbolos de esperança

    Mundo

    Shepard Fairey - o artista por trás do tão conhecido cartaz vermelho e azul "Hope" de Barack Obama, durante a campanha eleitoral de 2008 nos EUA - produziu uma série de novas imagens a tempo da tomada de posse de Donald Trump, na sexta-feira. Agora, o artista e a sua equipa querem manifestar uma posição política com a campanha "We The People", contra as ideias que o Presidente eleito tem defendido.