sicnot

Perfil

Desporto

Vettel perde cinco lugares na grelha para o GP da Rússia

O alemão Sebastian Vettel vai iniciar o Grande Prémio da Rússia de Fórmula 1, no domingo, com uma penalização de cinco lugares na grelha, depois de a Ferrari ter decidido hoje mudar a caixa de velocidades do seu carro.

© Maxim Shemetov / Reuters

Quatro vezes campeão mundial, Vettel viu-se obrigado a parar na pista no início da segunda sessão de treinos livres, devido a problemas elétricos. Mesmo perdendo cerca de uma hora, o germânico ainda fez o segundo tempo da sessão, atrás do atual campeão do mundo, o britânico Lewis Hamilton (Mercedes), com o seu colega finlandês Kimi Raikkonen em terceiro e o Mercedes do alemão Nico Rosberg em quarto.

"Já vimos que eles estão outra vez muito fortes aqui e Lewis [Hamilton], especialmente, entrou muito bem no ritmo. A boa notícia é que o equilibrio do carro está bastante bom e estamos cada vez mais adaptados à pista. Mas tenho de dizer que não somos favoritos aqui", afirmou Vettel.

Rosberg, vencedor das primeiras três provas do campeonato do mundo, lidera com 75 pontos, contra 39 de Hamilton, 36 do australiano Daniel Ricciardo (Red Bull) e 33 de Vettel.

Lusa

  • As IPSS são estruturantes no país. Fazem o que Estado não faz porque não pode, não quer, ou não chega a tudo. Chama-se sociedade civil a funcionar. E o Estado subsidia, ajuda, (com)participa, apoia. Nada contra. A questão é quando as IPSS e outras instituições, fundações, associações, federações e quejandas se tornam verdadeiras "indústrias".

    Pedro Cruz

  • O ano "saboroso" de António Costa
    0:51

    País

    António Costa diz que 2017 foi um ano "saboroso" para Portugal. Num encontro com funcionários portugueses, em Bruxelas, antes do Conselho Europeu desta quinta-feira, o primeiro-ministro realçou o que o país conquistou no último ano, no plano europeu, e que culminou com a eleição de Mário Centeno para a Presidência do Eurogrupo.

  • Os Simpsons já sabiam em 1998 que a Fox iria pertencer à Disney

    Cultura

    Os Simpsons acertaram outra vez. Algo que tem acontecido regularmente nos últimos tempos, com a eleição de Donald Trump, o aparecimento do vírus Ébola ou o escândalo dos Panama Papers. Desta vez, a previsão remonta a 1998, quando a série previu que a 20th Century Fox iria pertencer à Disney.

    SIC