sicnot

Perfil

Desporto

Feridos no Rali de Santo Tirso deverão ter alta em breve

Os seis espetadores colhidos ao início da tarde por um dos veículos participantes no Rali de Santo Tirso "não inspiram cuidados" e deverão ter "alta em breve", disse à agência Lusa fonte do Centro Hospitalar do Médio Ave.

Segundo o chefe de equipa da urgência da Unidade de Santo Tirso daquele centro hospitalar, os feridos apenas foram para ali transportados "por precaução" e para "fazer alguns exames clínicos", mas "estão todos bem".

"Prevejo alta para breve", acrescentou.

Os seis espetadores ficaram feridos na sequência do despiste, pelas 14:50 em Monte Córdova, de um dos veículos em prova no Rali de Santo Tirso, tendo na altura o Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) do Porto referido que uma das vítimas seria grave.

Conforme adiantou à agência Lusa fonte dos Bombeiros Tirsenses, os espetadores foram colhidos por um dos veículos em prova, que se despistou, "virando à esquerda quando a prova virava à direita".

Os espetadores, acrescentou, encontravam-se num local "com bastante gente" e aparentemente sem perigo, onde "não era previsível" que pudessem ser atingidos.

O acidente ocorreu durante a 5.ª e última prova do rali, cujo percurso era Assunção/Valinhas.

Lusa

  • Número de mortos nos incêndios sobe para 44

    País

    Os incêndios florestais que deflagraram no domingo em várias zonas do país provocaram 44 mortos, disse esta sexta-feira a adjunta do comando nacional da Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC), Patrícia Gaspar.

  • Atividade económica regista crescimento

    Economia

    A atividade económica portuguesa está a crescer ao maior ritmo dos últimos 17 anos. O crescimento registado em setembro é o mais elevado desde janeiro de 2000. Já o consumo privado registou uma diminuição face a agosto.

    SIC

  • Aberta nova frente de guerra no Iraque
    1:20

    Mundo

    Uma nova frente de guerra no Iraque está aberta. O exército de Bagdade combate as forças curdas e luta pelo controlo da província petrolífera de Kirkuk. Na origem da ofensiva está o referendo não reconhecido à independência do Curdistão.