sicnot

Perfil

Desporto

Feridos no Rali de Santo Tirso não terão sido atingidos pelo veículo em despiste

O presidente da Federação Portuguesa de Automobilismo e Karting disse hoje estar "em parte aliviado" por informações segundo as quais os espetadores hoje feridos no Rali de Santo Tirso não foram atingidos pelo veículo que se despistou.

"Pelas informações que tenho, o carro não embateu nos feridos, que estavam num sítio considerado de segurança. [Os espetadores] assustaram-se, desequilibraram-se ou caíram e magoaram-se, mas não houve contacto entre a viatura e as pessoas, o que para mim era o mais importante", afirmou Manuel Mello Breyner em declarações à agência Lusa.

Contactado pela Lusa na sequência do incidente ocorrido ao início da tarde de hoje no Rali de Santo Tirso - onde pelas 14:50 um dos veículos em prova se despistou em Monte Córdova, durante a 5.ª e última prova do rali no percurso era Assunção/Valinhas, causando ferimentos ligeiros em seis espetadores -- o dirigente federativo lamentou que só haja "eco sobre o desporto automóvel quando ocorrem acidentes".

Na opinião de Manuel Mello Breyner, não tem contudo havido "nenhum acréscimo de perigo" nas provas automóveis que," pelo contrário, têm estado bastante sossegadas".

"O público tem-se comportado bem e não tem havido grandes acidentes. Agora aconteceu este, num rali que tem uma grande lista de inscritos, numa zona de grandes aficionados e que tem muito público... mas isto acontece, faz parte do desporto. Desde que ninguém se magoe...é o mais importante", sustentou.

Para o ex-piloto de ralis e atual presidente da FPAK, a realidade é que "as provas estão mais seguras" e "o público, regra geral, segue as indicações", mas "o desporto automóvel é perigoso" e há sempre uma componente que "não se consegue controlar".

Até porque, notou, "as forças policiais concentram-se nos sítios onde existe mais público e fazem o seu papel", mas "todos procuram sempre aquele sítio que acham que é melhor para ver" e "não pode haver um polícia para cada espetador".

"O Rali de Portugal tem dado excelentes exemplos de bom controlo de público e de boa segurança, mas nunca se consegue controlar toda a gente, há sempre aqueles que gostam de desafiar e de ir para um sítio onde ninguém espera que vão. Não foi o caso hoje, mas há sempre essa tentação. É um bocadinho como as largadas de touros em Pamplona: as pessoas gostam sempre de desafiar um bocadinho o perigo e essas pessoas correm mais riscos do que as outras", disse.

Ainda assim, Mello Breyner entende que, "de uma maneira geral, o público está bastante mais disciplinado e consciente do perigo do desporto automóvel, tanto para quem pratica como para quem assiste".

Lusa

  • Morte de portuguesa no Luxemburgo afinal não aconteceu

    País

    A morte de uma portuguesa em Bettembourg, no sul do Luxemburgo, não terá acontecido. O Jornal do Luxemburgo avançou, esta manhã, que a emigrante portuguesa tinha sido baleada mortamente pelo filho, uma informação entretanto desmentida por outro jornal online. Segundo o Bom Dia Luxemburgo, o que aconteceu foi afinal uma rusga policial.

  • Estamos quase na hora de verão

    País

    Esta madrugada muda a hora. Quando for 1h00, os relógios adiantam para as 2h00. Será uma noite com menos tempo de sono, mas os dias vão ficar mais longos com o chamado horário de verão.

  • Hora do Planeta, apagam-se as luzes para despertar consciências
    2:19
  • Divorciados vão poder dividir filhos no IRS 

    Economia

    Os divorciados vão passar a poder dividir os filhos no IRS (imposto sobre o rendimento singular) e o Governo está a estudar soluções para que em 2018 haja um novo sistema para lidar com a guarda conjunta de filhos.

  • "Os governos são diferentes mas o povo é o mesmo"
    0:45

    Economia

    O Presidente da República atribui o resultado do défice do ano passado ao espírito de sacrifício do povo português. Num jantar em Coimbra para assinalar o Dia do Estudante, Marcelo Rebelo de Sousa considerou ainda que o valor do défice de 2016 é a prova de que com governos diferentes conseguem-se os mesmos objetivos.

  • Ataques aéreos dos EUA em Mossul podem ter causado a morte de 200 civis
    1:22
  • Pai do piloto da Germanwings defende inocência do filho

    Mundo

    O pai de Andreas Lubitz declarou esta sexta-feira que o filho não é o responsável pelo embate do avião da Germanwings contra um local montanhoso, que fez 150 mortos. O Ministério Público alemão concluiu em janeiro que o incidente em 2015 foi apenas da responsabilidade do piloto.

  • Quando o cancro chega por mero acaso
    1:55

    Mundo

    Cerca de dois terços das mutações que ocorrem nas células cancerígenas devem-se ao acaso, segundo um estudo da Universidade Johns Hopkins, nos Estados Unidos. Em Portugal, o Diretor do Programa Nacional Doenças Oncológicas alerta para a importância de um diagnóstico precoce e um estilo de vida saudável como forma de reduzir a fatalidade.