sicnot

Perfil

Desporto

Pedro Proença quer tranquilidade e contenção até ao final da temporada

O presidente da Liga Portuguesa de Futebol Profissional (LPFP), Pedro Proença, desejou hoje que as últimas jornadas das competições que o organismo tutela sejam marcadas por mais tranquilidade e contenção.

"A palavra que quero deixar é de tranquilidade, que se dê espaço ao que o nosso futebol tem de melhor, que são os atletas, os técnicos e os árbitros. Peço alguma tranquilidade e capacidade de contenção para dar palco aos verdadeiros artistas que são os futebolistas", afirmou.

O dirigente, que falava à margem de uma ação da 'Campanha Guerreiros Solidários', uma iniciativa do Sporting de Braga que visa angariar 50 toneladas de alimentos não perecíveis até 20 de maio para apoiar as ações internacionais de auxílio aos refugiados, não quis comentar a 'Operação Matrioska', levada a cabo pela Polícia Judiciária (PJ) nas SAD da União de Leiria, Benfica, Sporting e Sporting de Braga.

"A atividade judicial fará o seu trabalho com independência e só esperamos que cheguem rapidamente a conclusões", disse.

António Salvador não quis também comentar a operação da PJ, que realizou buscas à SAD minhota, remetendo para o comunicado já tornado público.

O dirigente afirmou ainda que a arbitragem do jogo com o Benfica, segunda-feira, que ditou o afastamento da final da Taça da Liga, não justifica tudo.

"É tempo de refletir, de parar e olhar para dentro, ver o que está menos bem, corrigirmos e prepararmo-nos para os três jogos que faltam. Se podemos melhorar? Se for em relação ao último jogo, é evidente que sim, mas os jogos são todos diferentes. Temos de nos focar já no jogo de Coimbra, depois no jogo com o Sporting, até porque poderá estar em causa a verdade desportiva do campeonato e o Braga tem que zelar por essa verdade. Só depois pensaremos na final da Taça de Portugal", disse o presidente 'arsenalista'.

Salvador recusou comentar as palavras do presidente do FC Porto, Pinto da Costa, que desejou não ter Artur Soares Dias como árbitro no Jamor, afirmando que, na final, devem estar os melhores, equipa de arbitragem incluída. O dirigente bracarense considerou que o 'juiz' da associação do Porto "é um dos melhores".

Lusa

  • Não houve negligência médica no caso do jovem que morreu em São José
    2:33

    País

    Afinal, não houve negligência médica no caso do jovem que morreu há cerca de um ano no Hospital de São José, vítima de um aneurisma. Esta é a conclusão da Ordem dos Médicos e dos peritos do Instituto de Medicina Legal. Segundo o jornal Expresso, todos os relatórios relatórios pedidos pelo Ministério Público e pelo Centro Hospitalar de Lisboa Central dizem que o corpo clínico do hospital não teve responsabilidades na morte de David Duarte.

  • Jovens estariam de fones e poderão não ter ouvido comboio a aproximar-se
    1:47

    País

    As adolescentes, de 13 e 14 anos, encontradas mortas junto à linha do norte perto de Coimbra podem não ter ouvido a aproximação do comboio, uma vez que estariam de auriculares. Os corpos só foram descobertos 36 horas depois do desaparecimento das jovens, aparentemente vítimas de um descuido fatal.

  • Patti Smith engana-se na música de Bob Dylan durante cerimónia dos Nobel
    1:49

    Mundo

    Os prémios Nobel deste ano já foram entregues. Bob Dylan não compareceu à entrega do galardão da Literatura e fez-se representar pela amiga Patti Smith, que teve um bloqueio enquanto cantava "A Hard Rain's A-Gonna Fall" do músico. O Presidente da Colômbia Juan Manuel dos Santos foi distinguido com o Nobel da paz pelo acordo que alcançou com as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia.

  • CIA acredita que Trump foi ajudado por piratas informáticos russos
    1:24

    Eleições EUA 2016

    As eleições nos Estados Unidos da América já terminaram e o Presidente está eleito. Contudo, Barack Obama quer saber se os russos tentaram mesmo influenciar o voto e ao mesmo tempo perceber o que os serviços secretos aprenderam com todas as fugas de informação durante a campanha. Já a CIA diz não ter dúvidas: para os serviços secretos norte-americanos, Donald Trump foi ajudado por piratas informáticos.