sicnot

Perfil

Desporto

Federação de Futebol diz que a "arbitragem perdeu um dos grandes representantes"

A Federação Portuguesa de Futebol (FPF) considerou hoje que, com o falecimento de Paulo Paraty, "a arbitragem nacional perdeu um dos seus grandes representantes" e lembrou que o ex-juiz foi nomeado Sócio de Mérito do organismo em 2015.

ANT\303\223NIO COTRIM

"A arbitragem nacional perdeu, esta quarta-feira, um dos seus grandes representantes: Paulo Paraty. O antigo árbitro internacional, de 53 anos, lutava contra uma doença oncológica diagnosticada em 2014. Paulo Paraty dirigiu 218 jogos da Liga portuguesa e recebeu as insígnias de árbitro internacional", lembrou a FPF.

Joaquim Paulo Gomes Paraty da Silva, que faleceu hoje aos 53 anos vítima de doença prolongada, era natural do Porto e chegou a dirigir partidas das fases de qualificação dos campeonatos do Mundo e da Europa, assim como da Liga dos Campeões, entre 1996 e 2007.

"À família enlutada e aos amigos de Paulo Paraty, o presidente da Federação Portuguesa de Futebol endereça as mais sentidas condolências", lê-se no site do organismo que rege o futebol nacional.

Antigo quadro da Associação de Futebol do Porto, Paulo Paraty retirou-se dos relvados em 2008 e era filho de outro antigo árbitro de futebol, Armando Paraty, ambos nomeados sócios de mérito federativo em junho de 2015.

O corpo estará em câmara ardente na Igreja Nossa Senhora de Fátima (ao Foco) e o funeral realiza-se na quinta-feira, às 15:30, para o Cemitério de Agramonte, no Porto.

Lusa

  • MIT quer humanos a ajudar máquinas a decidir (quem morre)

    Mundo

    A "Máquina Moral" é uma plataforma online que recolhe a perspetiva humana em decisões que terão de ser tomadas por uma máquina. Por exemplo, quando um carro sem condutor se depara com o dilema do mal menor: em quem acertar - para evitar outros - num acidente de viação.

  • Daesh transforma drones em bombardeiros 

    Daesh

    As estratégias de combate do Daesh têm vindo a sofrer alterações, bem como a capacidade das forças militares iraquianas para confrontar e derrotar o inimigo. De acordo com o responsável do Exército dos EUA Brett Sylvia, comandante militar no Iraque, a tática mais recente desenvolvida pelo Daesh consiste em usar drones de uso comercial em pequenos bombardeiros, capazes de transportar e lançar granadas.