sicnot

Perfil

Desporto

Ranieri diz que um novo campeão outsider demorará mais 20 anos

O treinador italiano Claudio Ranieri, que levou o Leicester ao primeiro título de campeão inglês de futebol, considera que demorará 20 anos para que um outro outsider vença a liga.

reuters

Esta época, o Leicester enfrentou as probabilidades de 1/5.000 de conquistar o campeonato, cativando adeptos em todo o mundo e transformando jogadores desconhecidos em referências do futebol mundial.

"Muito dinheiro forma as grandes equipas e normalmente ganham estas, mas agora podemos dizer que isso acontece apenas em 99 por cento dos casos", justificou o treinador italiano, que aos 64 anos conquista o primeiro título da carreira num campeonato de primeira divisão.

Ranieri, que passou por clubes como o Nápoles, Fiorentina, Valência, Atlético Madrid, Roma, Juventus, Chelsea, Inter Milão, entre outros, havia apenas conquistado uma supertaça europeia, pelo Valência, em 2004.

"Quantos anos depois do Nottingham Forest (em 1978) ou do Blackburn (em 1995) ganharam outras equipas [outsiders]? Na próxima época voltamos ao mesmo, nos próximos dez ou 20 anos será o mesmo", considerou Ranieri.

O técnico, que assumiu no início da época o comando dos 'foxes', lembrou que os ricos podem "escolher os melhores jogadores e fazerem uma equipa".

O Leicester tornou-se muito popular em Itália, país natal de Ranieri, mas também na Tailândia, país dos proprietários do clube, embora o técnico italiano revele ter recebido mensagens de apoio de toda a parte.

"Em Itália, agora, a segunda equipa é o Leicester, na Tailândia é a primeira. Recebi cartas de Paraguai, Uruguai, Brasil -- em todas diziam 'Leicester, Leicester, que lenda'", referiu Claudio Ranieri.

O treinador disse também que talvez ainda seja cedo para ter noção do que foram capazes de fazer, mas que é importante saborear e aproveitar o momento, embora já olhe para o futuro, rejeitando a ideia de que precisará de 'estrelas' na equipa.

"Não precisamos de 'superstars'", começou por dizer, referindo que quer melhorar a equipa sem grandes estrelas, mas com os jogadores certos: "é cedo para dizer que precisamos de cinco, seis, sete ou oito jogadores. Temos de ver", salientou Ranieri, que ainda tem mais dois anos de contrato.

O Leicester, fundado em 1884, alcançou na segunda-feira o seu primeiro título de campeão inglês, depois de o Tottenham empatar na visita ao Chelsea, deixando os campeões a inalcançáveis sete pontos, a duas jornadas do final.

  • Leicester campeão faz alguns milionários
    1:20

    Desporto

    A probabilidade de o Leicester ganhar o campeonato inglês era de um para cinco mil, ou seja, quem apostou uma libra faturou cinco mil. Há um anónimo, que se saiba para já, que apostou 50 libras e ganhou 250 mil.

  • O papel da religião no quotidiano
    24:57
  • Jane Goodall iniciou palestra com sons semelhantes aos dos chimpanzés
    2:18

    País

    A investigadora Jane Goodall esteve esta quinta-feira em Lisboa para participar numa conferência da National Geographic. A primatóloga começou o seu discurso com sons semelhantes aos dos chimpanzés. Numa entrevista à SIC, Goodall falou sobre os chimpanzés e sobre o trabalho que continua a desenvolver em todo o mundo, em prol do ambiente, dos animais e das pessoas. 

  • NATO vai aumentar luta contra o terrorismo

    Mundo

    O secretário-geral da NATO, Jens Stoltenberg, disse que os aliados da NATO concordaram esta quinta-feira em aumentar a luta contra o terrorismo e em "investir mais e melhor" na Aliança.

  • Trump empurra líder do Montenegro para ficar à frente na fotografia

    Mundo

    A reunião de líderes dos Estados-membros da NATO, que decorreu esta quinta-feira em Bruxelas, na Bélgica, ficou marcada por um momento insólito em que o Presidente norte-americano não quis abdicar de ficar no melhor plano possível nas fotografias de grupo. Nem que para isso tenha sido necessário empurar o líder de outro país.

  • O humor de John Kerry nas críticas a Trump
    0:40

    Mundo

    John Kerry criticou as ligações de Donald Trump com a Rússia durante um discurso de abertura, na Universidade de Harvard. O ex-secretário de Estado norte-americano disse, em tom de brincadeira, que se os jovens querem vingar na política, devem primeiro aprender a falar russo.