sicnot

Perfil

Desporto

Tiago teve alta médica e já trabalha sem limites no Atlético de Madrid

O futebolista português Tiago Mendes, do Atlético de Madrid, teve hoje alta médica, cinco meses depois de se ter lesionado e ter ficado de fora dos relvados, anunciou o clube da liga espanhola.

EMILIO NARANJO

Tiago fraturou a tíbia direita a 28 de novembro, no jogo contra o Espanyol, e já trabalhava condicionado desde 15 de abril, mas teve agora permissão para se treinar sem limitações com os líderes, a par do FC Barcelona, do campeonato espanhol, no qual perdeu praticamente meia época.

O afastamento do internacional português motivou a contratação do médio argentino Augusto Fernández ao Celta de Vigo, mas Tiago está agora disponível, dependendo da condição física, para as partidas decisivas da liga, contra o Levante e os galegos, assim como para a final da Liga dos Campeões, a 28 de maio, em Milão, frente ao Real Madrid.

Lusa

  • Adeptos do Atlético celebraram passagem à final da Champions
    2:03

    Desporto

    Em Madrid, centenas de adeptos do Atlético reuniram-se na praça Neptuno para celebrar a passagem à final da Liga dos Campeões. A maioria deseja uma final espanhola para vingar a derrota em Lisboa frente ao Real Madrid, há dois anos. Os diários desportivos espanhóis fazer capa com a derrota que deu o apuramento.

  • Fuzileiros continuam no terreno a ajudar população
    3:03
  • Família Obama de férias na Indonésia

    Mundo

    Das águas claras de Bali aos encantos dos templos de Java, o antigo Presidente norte-americano Barack Obama levou a esposa e as filhas de férias numa aventura de (re)descobertas por um país onde Obama viveu durante quatro anos da sua infância.

    SIC

  • NotPetya: Lourenço Medeiros explica o novo ciberataque global
    2:44
  • Desacatos no aeroporto de Faro deixam turistas britânicos em terra
    1:46

    País

    Cinco pessoas, que integravam o grupo de turistas britânicos que nos últimos dias causou desacatos em Albufeira, foram ontem impedidas de regressar a Inglaterra. Agressões no aeroporto e desacatos à entrada do avião levaram os comandantes de dois voos a recusar levar aqueles passageiros.