sicnot

Perfil

Desporto

UEFA elege José Gomes como um dos 16 jogadores a seguir no Europeu de sub-17

A UEFA considera o atacante português José Gomes como um dos 16 jogadores a seguir durante o Campeonato da Europa de sub-17, que começa hoje no Azerbaijão.

© Charles Platiau / Reuters

O jogador do Benfica, na listagem hoje anunciada, é descrito como "um atacante produtivo que brilhou na edição 2015/16 da UEFA Youth League, contribuindo com sete golos e duas assistências".

No Grupo A, que inclui Portugal, os outros jogadores em destaques são o médio Farid Nabiyev (Azerbaijão), o guarda-redes Mile Svilar (Bélgica) e Liam Burt (Escócia), um médio de 15 anos que fez a estreia na primeira equipa do Rangers, a 01 de março, contra o Raith Rovers.

No Grupo B, destaque para Renat Dadachov (Alemanha), com o avançado do Leipzig a aspirar impressionar na terra natal dos seus pais, para o médio Romano Schmid (Áustria) e ainda para o avançado Nedim Hadzic (Bósnia e Herzegovina) e o especialista em bolas paradas Serhiy Buletsa (Ucrânia).

Alban Lafont (França), guarda-redes mais jovem de sempre da Ligue 1, com 16 anos e 310 dias, quando defendeu as cores do Toulouse contra o Nice, em novembro de 2015, é um dos destaques no Grupo C, onde também figuram Jens Odgaard (Dinamarca), Reiss Nelson (Inglaterra), que fez seis golos em outros tantos jogos da fase de apuramento e Joseph Colley (Suécia).

No Grupo D, Moise Kean (Itália), considerado no destaque da UEFA como "a jóia do modelo de formação da Juventus" surge acompanhado de Tahith Chong (Holanda), Dejan Jovelji? (Sérvia) e por Oriol Busquets (Espanha), mais uma promessa dos escalões de formação do Barcelona.

A França é a atual detentora do troféu, enquanto Portugal persegue um título que lhe foge desde 2002/03, abrindo hoje a sua participação na prova defrontando a seleção anfitriã.

Lusa

  • Fuga de Vale de Judeus em junho de 1975 no Perdidos e Achados
    0:36

    Perdidos e Achados

    Prisão Vale de Judeus, final de tarde de domingo, dia 29 de junho de 1975. O plano da fuga terá sido desenhado por uma vintena de homens. Serrada a presiana metálica era preciso passar, para fora do edifício, as cabeceiras dos beliches onde os presos dormiam. Ao longo de cerca de uma hora 89 detidos, agentes da PIDE/DGS, a Polícia Internacional e de Defesa do Estado português extinta depois da revolução de 1974, fogem do estabelecimento prisional.

    Segunda-feira no Jornal da Noite