sicnot

Perfil

Desporto

Gianni Infantino decreta "absoluta tolerância zero" na FIFA

O presidente da FIFA, Gianni Infantino, afirmou no domingo que a organização que gere o futebol mundial vai ter uma política de "tolerância zero" relativamente a desvios de dinheiro, após os escândalos de corrupção.

© Arnd Wiegmann / Reuters

"Temos um princípio de absoluta tolerância zero e se alguém acredita que pode fazer 'trapaças', que saia do futebol e o faça noutros sítios; os que cometeram atos criminosos e ganharam dinheiro ilegal com o futebol devem ser julgados criminalmente, e também pela FIFA, e devem, além disso, devolver o dinheiro", disse o dirigente ítalo-suíço.

Infantino, que participou numa mesa redonda no México no início das atividades do Congresso da FIFA, que vai ter lugar na sexta-feira na capital do país, reconheceu que a imagem da instituição se encontra danificada após os escândalos de corrupção.

"Se trabalharmos juntos, o futebol e a FIFA voltarão outra vez acima", afirmou.

Infantino mostrou-se ainda favorável à introdução de tecnologia a fim de ajudar os árbitros, desde que sob a condição de não interromperem o fluxo dos jogos.

"Devemos fazer experiências para ver se a tecnologia vai funcionar no futebol ou não. Talvez vejamos um pouco mais de ajuda aos árbitros no Mundial de 2018", acrescentou.

Lusa

  • Fuga de Vale de Judeus em junho de 1975 no Perdidos e Achados
    0:36

    Perdidos e Achados

    Prisão Vale de Judeus, final de tarde de domingo, dia 29 de junho de 1975. O plano da fuga terá sido desenhado por uma vintena de homens. Serrada a presiana metálica era preciso passar, para fora do edifício, as cabeceiras dos beliches onde os presos dormiam. Ao longo de cerca de uma hora 89 detidos, agentes da PIDE/DGS, a Polícia Internacional e de Defesa do Estado português extinta depois da revolução de 1974, fogem do estabelecimento prisional.

    Segunda-feira no Jornal da Noite