sicnot

Perfil

Desporto

Dois árbitros checos foram banidos por embriaguez

A Federação checa de Futebol (FACR) baniu esta quinta-feira dois dos árbitros do jogo entre o Pribram e o Slavia de Praga, por se apresentarem alcoolizados durante a partida desta quarta-feira, da 29.ª jornada do campeonato.

Bruno Paixão volta a dirigir um jogo do Sporting na I Liga de Futebol

Bruno Paixão volta a dirigir um jogo do Sporting na I Liga de Futebol

REUTERS

O presidente da federação, Miroslav Pelta, suspendeu o quarto árbitro Marek Pilny e o árbitro assistente Jiri Jech, informando que ambos vão enfrentar ações disciplinares e que ficarão sem as licenças para apitar.

"Eles estavam bêbados. Para nós, não existem mais", informou Pelta, que não se furtou a descrever as ações incomuns de ambos.

"Marek Pilny estava visivelmente embriagado no início do jogo. Tinha dificuldades em manter o equilíbrio e, às vezes, corria a imitar o movimento do árbitro auxiliar. Quando entrou nos balneários ao intervalo, não mais voltou. Jiri Jech também estava sob a influência do álcool e, alegadamente, até urinou durante o jogo", concluiu.

A restante equipa de arbitragem também será suspensa até final da época, por ter falhado na prevenção da situação.

O Slavia de Praga venceu o jogo por 3-1, mantendo o quinto posto na classificação. Com a derrota caseira, o Pribram não consegui garantir a manutenção, preservando, à entrada para a última jornada, o 14.º posto, dois pontos à frente do Sigma Olomouc.

Lusa

  • Família perde tudo na aldeia de Queirã
    2:32
  • Temperaturas sobem no fim de semana, risco de incêndio aumenta
    1:08

    País

    A chuva que caiu nos últimos dias não deverá ter impactos relevantes na dominuição da seca e, por isso, o risco de incêndios vai voltar a aumentar com nova subida das temperaturas. Os termómetros podem chegar aos 30 graus entre domingo e quarta-feira.

  • Não me parece o melhor princípio político, mas percebo que António Costa queira ter junto de si, sobretudo em tempos difíceis, os mais próximos. Os homens de confiança pessoal e política. Em plena tempestade, o primeiro-ministro chamou dois amigos de longa data, ex-colegas da Faculdade de Direito, Eduardo Cabrita e Pedro Siza Vieira. E eles não disseram que não.

    Bernardo Ferrão