sicnot

Perfil

Desporto

Real Madrid e FC Barcelona são os mais valiosos do mundo em 2016

Real Madrid e FC Barcelona são as duas equipas de futebol mais valiosas do mundo em 2016, com um valor de 3.203,50 e 3.119,13 milhões de euros, respetivamente, segundo a lista anual elaborada pela revista Forbes.

© Reuters Staff / Reuters

O Real Madrid é, pela 11.ª vez, o clube com mais bilhetes vendidos, com 609,92 milhões de euros de receita, de acordo com um comunicado emitido pelo clube 'merengue', seguido do FC Barcelona, que registou uma receita de 593,22 milhões de receita com bilheteira, a qual equivale a um crescimento de 12 por cento relativamente ao ano transato.

O pódio da revista norte-americana é completado com o Manchester United, com um valor de 2.915,48 milhões de euros, cuja receita com a venda de bilhetes ascende a 549,30 milhões, mais sete por cento do que em 2015.

Além dos 'red devils', a I Liga inglesa conta com mais cinco equipas entre os dez primeiros: Arsenal (1.772,84 milhões de euros), Manchester City (1.688,46), Chelsea (1.459,94), Liverpool (1.354,39) e Tottenham (893,87).

Os dois colossos espanhóis, o Bayern de Munique, no quarto lugar, e a Juventus, em nono, completam a lista dos dez primeiros clubes mais valiosos do mundo em 2016, segundo a Forbes.

Lusa

  • Autarca garante que não houve "touros de fogo"

    País

    O presidente da Câmara de Benavente disse esta segunda-feira à Lusa que a atividade "touros de fogo" foi retirada do programa da Festa da Amizade depois de recebido um parecer desfavorável da Direção-Geral de Veterinária.

  • Presidente do Brasil formalmente acusado de corrupção

    Mundo

    O Procurador-Geral da República do Brasil apresentou na noite de segunda-feira ao Supremo Tribunal Federal uma denúncia contra o Presidente Michel Temer e o ex-deputado Rodrigo Rocha Loures (PMDB-PR) pelo crime de corrupção passiva.

  • Reconquista de Mossul ao Daesh pode estar para breve
    1:27
  • Homem fala ao telefone com o filho que pensava estar morto

    Mundo

    Um norte-americano que tinha estado presente no funeral do filho recebeu, 11 dias depois, uma chamada telefónica de um homem que o pôs em contacto... com o filho que havia enterrado semana e meia antes. Tudo por causa de um erro do gabinete de medicina legal.