sicnot

Perfil

Desporto

Toni acredita que euforia dos adeptos não vai chegar ao balneário do Benfica

O antigo jogador e treinador do Benfica Toni sublinhou hoje que o plantel dos 'encarnados' não se vai deixar influenciar pela euforia vivida pelos adeptos, recordando que "não há vencedores nem vencidos antecipados" no futebol.

"O Benfica tem de pôr em campo muito daquilo que tem feito no campeonato, muita determinação, querer, vontade, qualidade no jogo, respeitar o adversário, não se deixar levar pela euforia que existe nos adeptos porque não há vencedores nem vencidos antecipados. Acredito que a euforia não chega ao balneário porque há erros cometidos no passado recente que arredondaram na perda do campeonato", afirmou à agência Lusa à margem da apresentação do livro Relato.

Toni sublinhou que o jogo de domingo frente ao Nacional é o mais importante para o Benfica.

"A equipa tem de estar física e mentalmente preparada para sofrer. Não se é campeão sem capacidade sofrimento. Há noventa minutos para jogar e são os mais importantes", sublinhou.

O internacional português não esqueceu o Sporting, que considera favorito para defrontar o Sporting de Braga.

"O Sporting tem um adversário que prepara a final da Taça de Portugal, vai pôr dificuldades, mas o Sporting é favorito e, independentemente do seu resultado, o Benfica tem de pensar no seu jogo", concluiu.

No domingo, a partir das 17:00, Benfica e Sporting podem sagrar-se campeões da edição 2015/16 da I Liga, bastando aos 'encarnados' vencer na receção ao Nacional, enquanto os 'verdes e brancos' necessitam de ganhar no terreno do Sporting de Braga e que os bicampeões percam pontos.

Lusa

  • Marcelo de volta a casa após diagnóstico de gastroenterite aguda
    3:37
  • "Todas as decisões que tomei foi sempre a pensar no Sporting primeiro"
    2:08
  • Saransk tanto anseia por Ronaldo que até lhe fizeram um vídeo e uma música
    3:07
  • Portugal quer atrair imigrantes
    1:28

    País

    O Governo prepara-se para regularizar a situação de 30 mil imigrantes ilegais que vivem em Portugal. De acordo com a edição deste sábado do semanário Expresso, o Executivo pretende também abrir portas a 75 mil novos imigrantes por ano.