sicnot

Perfil

Desporto

Ministro dos Desportos da Rússia admite erros graves de atletas nas regras antidoping

O ministro dos Desportos da Rússia, Vitaly Mutko, admitiu que os atletas russos cometeram "erros graves" por terem quebrado as regras antidoping, que podem comprometer a participação nos Jogos Olímpicos Rio2016.

© MAXIM ZMEYEV / Reuters

Numa crónica no jornal inglês Sunday Times, publicada hoje, Mutko não poupou críticas, escrevendo que todos os russos "estão envergonhados" com os atletas, que "quebraram o princípio do 'fair play' para obterem benefícios imediatos".

Apenas três dias depois de ter considerado "absurdas" as suspeitas de doping generalizado no Desporto russo, o ministro fez um 'mea culpa' e admitiu que a participação do atletismo russo nos Jogos Rio2016 pode estar comprometida.

"Lamentamos que os atletas tenham dececionado os russos e o mundo e que não tenhamos conseguido antecipar o problema. Lamentamos muito, porque a Rússia está comprometida em manter os mais altos padrões no desporto e opõe-se a qualquer ameaça aos valores olímpicos", refere Vitaly Mutko.

A 13 de novembro, a direção da Associação Internacional das Federações de Atletismo (IAAF) suspendeu a Federação russa, no âmbito do escândalo sobre práticas de dopagem, com o organismo russo a ser acusado de ocultar resultados positivos e destruir provas.

Na sexta-feira, o Comité Olímpico Internacional (COI) informou que vai solicitar à Agência Mundial Antidopagem (AMA) que "investigue imediatamente" o laboratório acreditado que controlou o 'doping' nos Jogos de Inverno Sochi2014.

Este pedido surgiu depois de o programa 'CBS 60 minutos', desta cadeia norte-americana, ter denunciado novas acusações de dopagem sobre desportistas russos que participaram em Sochi2014.

Lusa

  • Souto de Moura feliz com distinção na Bienal de Arquitetura de Veneza
    1:10
  • "Sonho com um futuro melhor", o desejo de um jovem sírio em Portugal
    2:12

    País

    Mais de 50 jovens sírios chegaram esta madrugada a Lisboa, para iniciarem o novo ano letivo, em Portugal. Sonham com um futuro melhor. Sonham com uma educação melhor. Os 54 estudantes vieram ao abrigo do programa lançado pelo antigo Presidente da República, Jorge Sampaio, que nos últimos anos já deu uma nova oportunidade a cerca de 200 alunos. Depois de um curso intensivo de português durante três meses, os jovens vão iniciar o ano letivo em vários pontos do país.