sicnot

Perfil

Desporto

Alexis Santos espera que bronze de hoje seja "viragem" para a natação portuguesa

Alexis Santos, que hoje conquistou em Londres uma medalha de bronze nos Europeus de natação, espera que o feito represente uma "viragem na natação nacional" e que seja o "princípio de outros bons resultados" na carreira.

Matt Dunham

Após ser terceiro na final dos 200 metros estilos - numa prova em que Diogo Carvalho foi quinto -, o nadador português, de 24 anos, reforçou a ideia de que Portugal "é capaz de chegar às medalhas em grandes competições nacionais".

"Sabia que ia ser uma final difícil, porque havia sete ou oito nadadores capazes de chegar ao pódio. Tentei entrar forte na prova, mas sem comprometer a parte final. Controlei o nadador grego e o israelita para na segunda parte terminar muito forte", explicou no final da sua prova.

Para Alexis Santos, que a exemplo de Diogo Carvalho já está apurado para os Jogos Olímpicos, o bronze "é o resultado final de muito trabalho".

Carlos Cruchinho, treinador de Alexis, considerou o feito "espetacular", sobretudo após o regresso do nadador a Portugal, após uma passagem por Espanha: "Passámos por muitas dificuldades nos últimos anos desde que o Alexis veio de Espanha, este resultado dá-nos vontade de continuar o trabalho desenvolvido."

"Ele veio para Londres na máxima força, mas tinha apenas o 14.º tempo entre os inscritos. Fomos por isso passo a passo e surgiu a possibilidade de chegar ao pódio, que não desperdiçou. Acabou fortíssimo com garra e determinação e foi buscar forças onde não tinha", disse ainda.

Portugal não conquistava uma medalha em Campeonatos da Europa de natação há 31 anos - a anterior fora a prata de Alexandre Yokochi em 200 metros bruços.

Lusa

  • Atacantes de Barcelona "não estão a caminho da nossa fronteira"
    7:00

    Ataque em Barcelona

    O diretor da Unidade Nacional de Contraterrorismo da Polícia Judiciária esteve esta sexta-feira no Jornal da Noite para falar sobre o duplo atentado em Espanha. Luís Neves diz que o nível de ameaça em Portugal, perante os ataques, não foi alterado porque "não se detectou que tenha existido informação que possa colocar o nosso território em perigo".