sicnot

Perfil

Desporto

Eleições para a presidência da UEFA marcadas para 14 de setembro

As eleições para a presidência da UEFA vão realizar-se a 14 de setembro, em Atenas, anunciou hoje o Comité Executivo do organismo, após uma reunião que decorreu em Nyon, na Suíça.

Os candidatos à sucessão do francês Michel Platini, suspenso por quatro anos de toda a atividade ligada ao futebol, devem formalizar a candidatura até 20 de julho.

O espanhol Angel Maria Villar vai continuar a ser o representante máximo do organismo, tal como tem sucedido desde que Platini foi suspenso.

"O nosso primeiro vice-presidente, Angel Maria Villar, vai assumir esse papel [de presidente]", afirmou o secretário-geral do Comité Executivo, Theodore Theodoridis.

O presidente da Real Federação Espanhola de Futebol vai ser o representante máximo da UEFA nas finais da Liga Europa e da Liga dos Campeões e no Euro2016, que decorrerá em França entre 10 junho e 10 de julho.

Michel Platini demitiu-se a 09 de maio da presidência da UEFA, no mesmo dia em que o Tribunal Arbitral do Desporto (TAS) reduziu de seis para quatro anos a suspensão que lhe foi aplicada por atos de corrupção.

O antigo futebolista internacional francês foi condenado por abuso de confiança, conflito de interesses e gestão danosa no caso do pagamento de 1,8 milhões de euros pelo ex-presidente da FIFA mundial, Joseph Blatter.

Lusa

  • Portugueses querem contratar Obama

    Mundo

    Contratar Barack Obama. Pode parecer uma tarefa impossível, mas para a startup portuguesa Swonkie a única resposta a este desafio é "Yes We Can", mote da campanha presidencial de Obama de há nove anos.

  • Artista que criou poster de Obama quer invadir EUA com símbolos de esperança

    Mundo

    Shepard Fairey - o artista por trás do tão conhecido cartaz vermelho e azul "Hope" de Barack Obama, durante a campanha eleitoral de 2008 nos EUA - produziu uma série de novas imagens a tempo da tomada de posse de Donald Trump, na sexta-feira. Agora, o artista e a sua equipa querem manifestar uma posição política com a campanha "We The People", contra as ideias que o Presidente eleito tem defendido.