sicnot

Perfil

Desporto

Governo catalão critica proibição das bandeiras independentistas na Copa do Rei

O conselheiro de Justiça do Governo regional da Catalunha considerou hoje que a proibição do uso de bandeiras nacionalistas catalãs na final da Copa do Rei de futebol constitui "uma limitação do direito à liberdade de expressão".

© Albert Gea / Reuters

Em declarações à emissora Catalunia Ràdio, Carles Mundó, que considerou esta decisão "inaceitável num estado democrático", acrescentou que o governo central de Espanha "está a aproveitar" esta medida "como munição" em vésperas de campanha eleitoral para as legislativas de 26 de junho (nas quais o tema da independência da Catalunha continua a ser um dos temas fortes).

Os espetadores da final da Copa do Rei, que se disputa no domingo, em Madrid, entre o FC Barcelona e o Sevilha, vão ser revistados um a um, para impedir a entrada de bandeiras independentistas catalãs.

O dispositivo de segurança previsto para a final, às 21:30 (menos uma hora em Lisboa) no estádio Vicente Calderón, contará com 2.500 efetivos dispostos num duplo filtro. Em ambos estes controlos, os seguranças e agentes de segurança vão impedir a entrada de bandeiras independentistas catalãs (as "esteladas").

Para o conselheiro da Generalitat, a medida "não tem qualquer justificação", considerando que a bandeira independentista é "um símbolo democrático da liberdade de expressão".

O jogo é considerado de alto risco e levará ao estádio cerca de 38.800 adeptos de ambos os clubes. A capacidade máxima do Calderón é de 54.907 espetadores. As portas do estádio abrem cerca de três horas e meia antes do encontro, para que os adeptos possam passar pelas medidas de segurança reforçadas, que incluem ainda bilhetes com o nome de cada espetador.

A final da Copa do Rei de 2015, no Camp Nou em Barcelona, ficou marcada por uma enorme assobiadela durante o hino espanhol, na presença do Rei Felipe VI, que assistia - como habitualmente - à partida decisiva da competição.

Antes e durante o jogo (no qual o FC Barcelona bateu o Athletic de Bilbau por 3-1), os adeptos do FC Barcelona desfraldaram milhares de bandeiras "esteladas" (que se diferencia da bandeira da Catalunha por acrescentar um triângulo azul e uma estrela branca às habituais listas vermelhas e amarelas).

Em fevereiro a Audiência Nacional - um tribunal especial espanhol - considerou que não existiu qualquer delito na assobiadela ao Rei na final da Copa do ano passado, ordenando que a queixa fosse arquivada. A procuradoria espanhola considerou que a assobiadela poderia constituir um delito de injúrias ao Rei e aos símbolos de Espanha, como o hino.

Lusa

  • A menina síria que relata a guerra no Twitter está bem, diz o pai

    Mundo

    Bana Alabed, a menina síria de 7 anos que conta no Twitter a luta pela sobrevivência e os horrores da guerra em Alepo, teve de abandonar a sua casa que foi bombardeada mas está bem, disse hoje o seu pai à Agência France Press. A conta esteve fechada domingo, mas foi entretanto reativada e tem hoje uma nova publicação de Bana.

  • Parkinson pode ter início nos intestinos

    Mundo

    Um novo estudo científico vem revelar que a doença de Parkinson pode não estar apenas no cérebro. A doença pode ter início nos intestinos e mais tarde migrar para o cérebro.