sicnot

Perfil

Desporto

Platini quer renunciar formalmente ao cargo no congresso da UEFA em setembro

Michel Platini, atualmente a cumprir suspensão de quatro anos de toda a atividade do futebol, quer "renunciar formalmente" ao cargo de presidente da UEFA no congresso eleitoral da organização, a 14 de setembro, que nomeará o seu sucessor.

© Eric Gaillard / Reuters

Foi o próprio Platini, que deixou o cargo a 09 de maio último, depois de o seu recurso para o Tribunal Arbitral do Desporto (TAS) ter sido rejeitado, a assumir essa vontade.

O antigo capitão da seleção francesa tinha sido, inicialmente, suspenso por oito anos por alegado conflito de interesses por causa de um pagamento de cerca de dois milhões de francos suíços autorizado pelo então presidente da FIFA, Joseph Blatter.

Este anúncio surge na sequência de declarações do diretor jurídico da UEFA, Alasdair Bell, que tinha afirmado que Platini não se demitiu do cargo como anunciado a 09 de maio e que se mantém líder até às eleições de setembro.

"Até ao momento, Michel Platini não se demitiu. Ele é presidente da UEFA até que seja eleito um novo dirigente. Platini está suspenso, não se demitiu", garantiu Bell, à margem de uma sessão extraordinária do Comité Executivo da UEFA, em Basileia, Suíça.

Durante o Euro2016, em França, é o espanhol Ángel Maria Villar, vice-presidente da UEFA, promovido a líder interino, que assume as funções protocolares da instituição.

Michel Platini anunciou em comunicado, a 09 de maio, a sua demissão do cargo, depois de o Tribunal Arbitral do Desporto ter reduzido a sua suspensão de seis para quatro anos. O ex-jogador francês afirmou na altura: "Demito-me das minhas funções de presidente da UEFA, a fim de provar a minha inocência."

Lusa

  • Porque é que Melania e Ivanka vestiram preto para conhecer o Papa

    Mundo

    Melania e Ivanka chegaram ao Vaticano de preto, uma escolha muito questionada. De vestidos longos e véus, as mulheres Trump seguiram assim o dress code aconselhado nas audiências com o Papa. Também Michelle Obama usou uma vestimenta do género, em 2009, quando visitou Bento XVI.

  • Escola de Vagos castiga alunos por protesto contra a homofobia e preconceito

    País

    Os alunos da Escola Secundária de Vagos, no distrito de Aveiro, organizaram um protesto contra o que consideram homofobia e preconceito. Segunda-feira, depois de duas alunas se terem beijado foram chamadas à direção da escola, que as terá informado que não podiam beijar-se em público. O protesto foi gravado e partilhado nas redes sociais. Em declarações à SIC Notícias, um dos alunos disse que todos os envolvidos no protesto vão ser alvos de um processo disciplinar. O Bloco de Esquerda já pediu esclarecimentos ao Ministério da Educação.

    EXCLUSIVO

    Rita Pedras