sicnot

Perfil

Desporto

Federação diz que não há ciclistas profissionais entre acusados pelo MP

A Federação Portuguesa de Ciclismo esclareceu hoje que não há qualquer profissional entre os sete acusados pelo Ministério Público, de aquisição venda e fornecimento de substâncias e tratamentos dopantes, ocorridos entre janeiro e agosto de 2013.

Lusa

Lusa

LUSA

"Não há entre os arguidos qualquer ciclista profissional, havendo, isso sim, praticantes de ciclismo amadores e populares, alguns nem sequer filiados na Federação Portuguesa de Ciclismo. Desmentimos, assim, as informações erradas veiculadas nesta sexta-feira", refere uma nota da federação.

A reação do organismo surge na sequência de uma nota divulgada hoje pela Procuradoria-Geral Distrital de Lisboa (PGDL), anunciando que acusou sete pessoas, entre as quais quatro ciclistas profissionais federados em Portugal, sem revelar identidades, de práticas de doping.

A federação da modalidade assegura ainda que colaborou com a Polícia Judiciária e com o Ministério Público na investigação que culminou com a constituição de sete pessoas como arguidas.

Segundo a nota da PGDL, o despacho de acusação foi proferido na segunda-feira, na sequência de "um inquérito que teve por objeto a investigação do fornecimento organizado de substâncias e tratamentos dopantes a ciclistas profissionais federados e a sua aquisição por parte destes".

De acordo com a nota, "foram acusados sete arguidos por se ter fortemente indiciado que três deles adquiriram, venderam e forneceram" substâncias dopantes "aos outros quatro arguidos".

A nota considera ainda que foram realizados vários procedimentos, nomeadamente "tratamentos de ozono por via intravenosa (ozonoterapia)", com o "propósito de obtenção de proventos económicos e de alteração da condição física dos atletas por forma a melhorar o desempenho desportivo".

Entre as substâncias referidas figuram, entre outras, a Eritropoietina (EPO), IGF-1, uma hormona semelhante à insulina, e um peptídeo TB-500, que ajuda a promover o aumento da massa muscular, resistência e força.

Lusa

  • Não houve negligência médica no caso do jovem que morreu em São José
    2:33

    País

    Afinal, não houve negligência médica no caso do jovem que morreu há cerca de um ano no Hospital de São José, vítima de um aneurisma. Esta é a conclusão da Ordem dos Médicos e dos peritos do Instituto de Medicina Legal. Segundo o jornal Expresso, todos os relatórios relatórios pedidos pelo Ministério Público e pelo Centro Hospitalar de Lisboa Central dizem que o corpo clínico do hospital não teve responsabilidades na morte de David Duarte.

  • Jovens estariam de fones e poderão não ter ouvido comboio a aproximar-se
    1:47

    País

    As adolescentes, de 13 e 14 anos, encontradas mortas junto à linha do norte perto de Coimbra podem não ter ouvido a aproximação do comboio, uma vez que estariam de auriculares. Os corpos só foram descobertos 36 horas depois do desaparecimento das jovens, aparentemente vítimas de um descuido fatal.

  • Patti Smith engana-se na música de Bob Dylan durante cerimónia dos Nobel
    1:49

    Mundo

    Os prémios Nobel deste ano já foram entregues. Bob Dylan não compareceu à entrega do galardão da Literatura e fez-se representar pela amiga Patti Smith, que teve um bloqueio enquanto cantava "A Hard Rain's A-Gonna Fall" do músico. O Presidente da Colômbia Juan Manuel dos Santos foi distinguido com o Nobel da paz pelo acordo que alcançou com as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia.

  • CIA acredita que Trump foi ajudado por piratas informáticos russos
    1:24

    Eleições EUA 2016

    As eleições nos Estados Unidos da América já terminaram e o Presidente está eleito. Contudo, Barack Obama quer saber se os russos tentaram mesmo influenciar o voto e ao mesmo tempo perceber o que os serviços secretos aprenderam com todas as fugas de informação durante a campanha. Já a CIA diz não ter dúvidas: para os serviços secretos norte-americanos, Donald Trump foi ajudado por piratas informáticos.