sicnot

Perfil

Desporto

Federação diz que não há ciclistas profissionais entre acusados pelo MP

A Federação Portuguesa de Ciclismo esclareceu hoje que não há qualquer profissional entre os sete acusados pelo Ministério Público, de aquisição venda e fornecimento de substâncias e tratamentos dopantes, ocorridos entre janeiro e agosto de 2013.

Lusa

Lusa

LUSA

"Não há entre os arguidos qualquer ciclista profissional, havendo, isso sim, praticantes de ciclismo amadores e populares, alguns nem sequer filiados na Federação Portuguesa de Ciclismo. Desmentimos, assim, as informações erradas veiculadas nesta sexta-feira", refere uma nota da federação.

A reação do organismo surge na sequência de uma nota divulgada hoje pela Procuradoria-Geral Distrital de Lisboa (PGDL), anunciando que acusou sete pessoas, entre as quais quatro ciclistas profissionais federados em Portugal, sem revelar identidades, de práticas de doping.

A federação da modalidade assegura ainda que colaborou com a Polícia Judiciária e com o Ministério Público na investigação que culminou com a constituição de sete pessoas como arguidas.

Segundo a nota da PGDL, o despacho de acusação foi proferido na segunda-feira, na sequência de "um inquérito que teve por objeto a investigação do fornecimento organizado de substâncias e tratamentos dopantes a ciclistas profissionais federados e a sua aquisição por parte destes".

De acordo com a nota, "foram acusados sete arguidos por se ter fortemente indiciado que três deles adquiriram, venderam e forneceram" substâncias dopantes "aos outros quatro arguidos".

A nota considera ainda que foram realizados vários procedimentos, nomeadamente "tratamentos de ozono por via intravenosa (ozonoterapia)", com o "propósito de obtenção de proventos económicos e de alteração da condição física dos atletas por forma a melhorar o desempenho desportivo".

Entre as substâncias referidas figuram, entre outras, a Eritropoietina (EPO), IGF-1, uma hormona semelhante à insulina, e um peptídeo TB-500, que ajuda a promover o aumento da massa muscular, resistência e força.

Lusa

  • Passos começou a fazer oposição

    Bernardo Ferrão

    É inegável a habilidade política de António Costa mas no caso da TSU e do acordo de Concertação Social só cai quem quer. A verdade dos factos é que o primeiro-ministro fechou um acordo sabendo que não o podia cumprir. E agora tenta desviar-nos o olhar para o PSD, como se fosse ele o culpado, quando o problema está na geringonça. Antes de atacar Passos, Costa devia resolver os problemas em casa com o PCP e BE.

    Bernardo Ferrão

  • PSD está a "perder terreno" na escolha de candidato a Lisboa
    1:46

    País

    Quem o diz é Luís Marques Mendes: o PSD perde na demora da escolha de um candidato para a Câmara de Lisboa. O líder Passos Coelho rejeita apoiar a candidatura de Assunção Cristas e garante que o partido vai ter um candidato próprio. Segundo o comentador da SIC, o último convite foi dirigido a José Eduardo Moniz.

  • Trump não escreve todos os tweets, mas dita-os

    Mundo

    O Presidente eleito dos EUA não escreve todos os tweets que são publicados na sua conta desta rede social, mas dita-os aos seus funcionários. Numa entrevista a um ex-secretário de Estado britânico, Donald Trump explica como usa a sua conta e garante que depois de ser investido Presidente, vai continuar a usar o Twitter para defender-se da "imprensa desonesta".

  • Depressão pode ser mais prejudicial para o coração do que a hipertensão

    Mundo

    Um estudo recente estabelece uma nova ligação entre depressão e distúrbios cardíacos. De acordo com a investigação publicada na revista Atheroscleroses, o risco de vir a sofrer de uma doença cardíaca grave é quase tão elevado para os homens que sofram de depressão, do que para os que tenham colesterol elevado ou obesidade, e pode mesmo ser maior do que para os que sofram de hipertensão.