sicnot

Perfil

Desporto

Miguel Oliveira em 13.º na prova de Moto2 do Grande Prémio de Itália

O piloto português Miguel Oliveira (Kalex) foi hoje 13.º na corrida de Moto2 do Grande Prémio de Itália, sexta prova do Mundial de motociclismo de velocidade, disputada no circuito de Mugello.

(Arquivo)

(Arquivo)

© Heino Kalis / Reuters

Numa prova marcada por uma interrupção à quinta volta, que obrigou a nova largada, Oliveira foi um dos pilotos a tirar proveito do facto, uma vez que rodava atrasado, e acabou assim nos pontos, depois de ter efetuado apenas a 21.ª marca nas qualificações.

"A corrida de hoje foi bastante atípica. No fundo foi uma corrida de sprint, muito diferente do que estava à espera. Já na primeira saída me tinha colocado bastante bem e, no final, depois de um fim de semana que me correu menos bem, terminar em 13º é muito positivo", disse Oliveira.

A corrida foi ganha pelo francês Johann Zarco (Kalex), campeão do mundo em título, que foi mais forte no duelo com o italiano Lorenzo Baldassari (Kalex) e com o britânico Sam Lowes (Kalex), que recuperou a liderança do campeonato, com 98 pontos. Miguel Oliveira é 15.º com 15 pontos.

Lusa

  • A casa dos horrores
    7:57
  • PGR e presidente do Supremo deixam recado à ministra da Justiça
    2:45

    País

    Durante a abertura do ano judicial, a Procuradora-Geral da República e o presidente do Supremo Tribunal aproveitaram para deixar um recado à ministra da Justiça: é urgente aprovar o novo estatuto de juízes e magistrados. O presidente do Supremo diz que é injusta a má imagem da Justiça e pediu contenção aos magistrados.

  • Rui Rio tem sentido "alguma turbulência" no PSD
    2:01

    País

    Rui Rio e Pedro Passos Coelho tiveram esta quinta-feira a primeira reunião, desde que foi eleito o novo líder do PSD. À saída, Passos Coelho desejou que esta transição decorra com naturalidade. Já Rui Rio disse que tem sentido alguma turbulência no partido.

  • Sindicatos rejeitam fim das baixas médicas até três dias
    2:02

    País

    A CGTP quer levar o tema das baixas médicas à Concertação Social, já a UGT diz que há outras matérias prioritárias. Ainda assim as duas centrais sindicais lembram que a não justificação de faltas pode dar origem a um despedimento por justa causa. Esta quinta-feira o bastonário da Ordem dos Médicos propôs ao Governo que acabe com as baixas de curta duração, até três dias.

  • Papa interrompe percurso no Chile para ajudar polícia
    0:21
  • "Mundo à Vista" no Gana
    7:38