sicnot

Perfil

Desporto

Os onze prováveis para o jogo com a Noruega

Os escolhidos de Fernando Santos para defrontar a Noruega serão: Rui Patrício na baliza, Raphael Guerreiro, Ricardo Carvalho , José Fonte e Cédric na defesa. A meio campo William, João Moutinho, Andé fontes e João Mário. Quaresma e Éder no ataque.

A seleção portuguesa de futebol defronta hoje a Noruega, sem Cristiano Ronaldo, naquele que é primeiro teste para a fase final do Euro2016, num encontro que vai decorrer no Estádio do Dragão, no Porto.

Após a primeira semana de preparação para o Europeu que vai decorrer em França, Portugal realiza um particular com a formação escandinava ainda sem o seu capitão nem Pepe, que conquistaram no sábado a Liga dos Campeões pelo Real Madrid.

Nani e Bruno Alves, ambos do Fenerbahçe, só se juntam à comitiva lusa na segunda-feira e também são ausências confirmadas para o duelo com os noruegueses.

Sem quatro dos seus habituais titulares, o selecionador Fernando Santos deverá aproveitar para testar algumas soluções, sobretudo a meio-campo, naquela que é a zona que mais dúvidas suscita no 'onze' que Portugal deverá apresentar no Campeonato da Europa.

É certo que todos os 16 jogadores de campo que estão disponíveis vão atuar no Estádio do Dragão, de acordo com as palavras ditas por Fernando Santos na conferência de imprensa de antevisão do jogo.

Será a 11.ª vez que a seleção lusa vai defrontar a Noruega, tendo um historial claramente favorável com sete vitórias, dois empates e apenas uma derrota, registada há quase seis anos, na caminhada para o Euro2012.

A comitiva lusa parte de manhã para o Porto, onde é esperado que chegue pouco depois das 12:00. O encontro está agendado para as 20:45 e terá arbitragem do irlandês Pedraig Sutton.

Na fase final do Euro2016, que arranca a 10 de junho, Portugal vai disputar o Grupo F com Islândia, Áustria e Hungria.

Com Lusa

  • Hospitais vão ser penalizados se não cumprirem tempos de espera
    2:37

    País

    O Ministério da Saúde vai penalizar os hospitais que não cumprem os tempos de espera nas urgências e que tenham taxas elevadas de cesarianas. O novo modelo de financiamento prevê ainda linhas de financiamento próprio para a obesidade e rastreios do cancro do cólon e do colo do útero.

  • Assédio, até onde vai a tolerância?
    35:26