sicnot

Perfil

Desporto

Etíope Almaz Ayana faz segunda melhor marca da história nos 5.000 metros

A atleta etíope Almaz Ayana conseguiu hoje a segunda melhor marca da história nos 5.000 metros, ao correr a distância em 14.12,59 minutos durante o 'meeting' de Roma da Liga Diamante.

© Ruben Sprich / Reuters

No Estádio Olímpico de Roma, Ayana já assumiu que acredita que vai conseguir bater o recorde do mundo da sua compatriota Tirunesh Dibaba, que, há oito anos, conseguiu uma marca de 14.11,15 minutos.

Nos 3.000 metros obstáculos, numa corrida dominada por quenianos, Conseslus Kipruto conseguiu a melhor marca mundial do ano, com 8.01,41 minutos.

Na sempre aguardada prova dos 100 metros, o norte-americano Justin Gatlin foi o vencedor, em 9,93 segundos, à frente do compatriota Ameer Webb (9,94), que bateu o seu recorde pessoal.

Também a jamaicana Janeive Russel, nos 400 metros barreiras (53,96 segundos), e a sul-africana Caster Semenya, nos 800 metros (1.56,64 minutos), fizeram melhores marcas mundiais do ano.

Lusa

  • Patti Smith engana-se na música de Bob Dylan durante cerimónia dos Nobel
    1:49

    Mundo

    Os prémios Nobel deste ano já foram entregues. Bob Dylan não compareceu à entrega do galardão da Literatura e fez-se representar pela amiga Patti Smith, que teve um bloqueio enquanto cantava "A Hard Rain's A-Gonna Fall" do músico. O Presidente da Colômbia Juan Manuel dos Santos foi distinguido com o Nobel da paz pelo acordo que alcançou com as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia.

  • CIA acredita que Trump foi ajudado por piratas informáticos russos
    1:24

    Eleições EUA 2016

    As eleições nos Estados Unidos da América já terminaram e o Presidente está eleito. Contudo, Barack Obama quer saber se os russos tentaram mesmo influenciar o voto e ao mesmo tempo perceber o que os serviços secretos aprenderam com todas as fugas de informação durante a campanha. Já a CIA diz não ter dúvidas: para os serviços secretos norte-americanos, Donald Trump foi ajudado por piratas informáticos.