sicnot

Perfil

Desporto

Uruguai considera ofensiva a troca do hino do país pelo do Chile na Copa América

A Associação Uruguaia de Futebol (AUF) considerou hoje como "erro grotesco" e "uma ofensa" a troca do hino do país pelo do Chile antes da partida da seleção celeste contra o México, na Copa América de futebol, nos Estados Unidos.

© Andres Stapff / Reuters

"Consideramos uma ofensa à AUF, aos nossos futebolistas e aos uruguaios, pois trata-se de um momento muito especial que antecede qualquer partida", afirmou o presidente do organismo que superintende a modalidade naquele país, Wilmar Valdez, dirigindo-se, em comunicado, à organização norte-americana da prova.

Segundo o dirigente, a organização da competição "tem conhecimento do hino nacional do Uruguai", porque na reunião técnica prévia havia sido ouvido o hino correto.

"Por esta razão, achamos que o que aconteceu não foi um simples descuido, mas uma ação muito reprovável", refere a nota da AUF.

Após o incidente, a organização da Copa América pediu desculpa pela confusão entre os hinos chileno e uruguaio, atribuindo-o a "erro humano".

No entanto, a AUF considerou que, apesar das desculpas, a ofensa "é irreversível" e afirma estar "expectante quanto às ações reparadoras" do comité organizador.

Lusa

  • "Os governos são diferentes mas o povo é o mesmo"
    0:45

    Economia

    O Presidente da República atribui o resultado do défice do ano passado ao espírito de sacrifício do povo português. Num jantar em Coimbra para assinalar o Dia do Estudante, Marcelo Rebelo de Sousa considerou ainda que o valor do défice de 2016 é a prova de que com governos diferentes conseguem-se os mesmos objetivos.

  • Recuo na saúde é primeira derrota de peso para Donald Trump
    1:18

    Mundo

    O Presidente norte-americano sofreu esta sexta-feira uma derrota de peso. O líder da Câmara dos Representantes retirou a proposta do plano de saúde de Trump, que se preparava para um chumbo na câmara baixa do Congresso. Para já, mantém-se o Obamacare.

  • Pai do piloto da Germanwings defende inocência do filho

    Mundo

    O pai de Andreas Lubitz declarou esta sexta-feira que o filho não é o responsável pelo embate do avião da Germanwings contra um local montanhoso, que fez 150 mortos. O Ministério Público alemão concluiu em janeiro que o incidente em 2015 foi apenas da responsabilidade do piloto.