sicnot

Perfil

Desporto

Gil Vicente pondera processar Gilberto Madaíl e Amândio de Carvalho

O presidente do Gil Vicente, António Fiúsa, afirmou hoje que está a ponderar processar Gilberto Madaíl e Amândio de Carvalho depois de a justiça civil ter aberto as portas ao regresso dos minhotos à I Liga de futebol.

António Fiúsa, presidente do Gil Vicente

António Fiúsa, presidente do Gil Vicente

O dirigente, que falava após a tomada de posse de Fernando Gomes como presidente da Federação Portuguesa de Futebol (FPF), abriu também a possibilidade de processar três outros intervenientes no processo.

"A comissão disciplinar da Liga, o doutor juiz Pedro Mourão. Juiz?! O doutor Frederico Cebola. Juiz?! No Conselho de Justiça, o doutor Mortágua e a sua equipa. A sua carneirada. O doutor Gilberto Madaíl e o Amândio de Carvalho. Como é que é possível que tenham invocado o interesse público?! Será que o Gil Vicente era da Galiza? Esta máfia tem de ser responsabilizada", afirmou.

António Fiúsa relembrou que nunca teve dúvidas num desfecho positivo neste processo, até porque, neste momento "quer a federação, quer a liga, têm pessoas responsáveis e sérias"

"A decisão do tribunal foi clara e taxativa. Só tenho pena que se tenha feito justiça passados dez anos. Na altura, aquela máfia que estava a comandar os órgãos desportivos é que fez passar aos portugueses que o Mateus estava mal inscrito. Fomos penalizados, porque fizeram crer às pessoas que recorremos aos tribunais por questões estritamente desportivas, mas fomos por uma questão administrativa, de contrato de trabalho", recordou.

Sem estar preocupado se o Belenenses, clube que garantiu a manutenção em 2006 com a descida administrativa do Gil Vicente para a II Liga, vai ou não recorrer desta decisão do tribunal, Fiúsa prometeu muita festa no final do mês de julho ou início de agosto.

"É para o lado em que durmo melhor. Às vezes vira-se o feitiço contra o feiticeiro. O Gil Vicente foi despromovido à II Liga por batota. Se tivermos de jogar mais um ano na II Liga, espetáculo, jogo com os juniores, não vai haver verdade desportiva, mas como sei que para o ano subo administrativamente, estou-me a marimbar", disse.

Sobre este caso, Rui Pedro Soares, presidente da SAD do Belenenses garante que não faz sentido falar em penalização da equipa do Restelo por uma decisão tomada há 10 anos.

"Estamos a analisar. Quando houver alguma decisão iremos comunicar. Não faz sentido falar em descida de divisão do Belenenses. O acórdão diz que deve ser considerada nula a sentença de 2006. Em breve iremos dizer alguma coisa", garantiu,

Já Pedro Proença, presidente da Liga Portuguesa de Futebol Profissional, repetiu o que o organismo tinha já anunciado.

"Não vamos recorrer da decisão judicial. Vamos dar execução àquilo que foi decidido. Infelizmente, temos de viver com esta justiça portuguesa que só produz resultados ao fim de 10 anos", criticou.

Lusa

  • Equipa da SIC impedida de entrar na Venezuela

    País

    A SIC tinha uma equipa a caminho da Venezuela para cobrir as eleições da Assembleia Constituinte que decorrem no domingo. No entanto o jornalista Luís Garriapa e o repórter de imagem Odacir Junior foram impedidos de entrar no país. A equipa de reportagem foi barrada à chegada ao aeroporto de Caracas.

  • "Fomos considerados inadmissíveis no território da Venezuela"
    4:43

    País

    O jornalista Luís Garriapa entrou em direto no Jornal da Noite, para explicar o que aconteceu esta quinta-feira, no aeroporto de Caracas. A equipa de reportagem de SIC foi impedida de entrar na Venezuela, onde ia cobrir as eleições da Assembleia Constituinte, marcadas para domingo.

  • Oposição alarga protesto e anuncia "tomada da Venezuela"

    Mundo

    A oposição venezuelana recusou esta quinta-feira a proibição de manifestações decretada pelo Governo e avisou que, em resposta, ampliará o protesto previsto para sexta-feira, passando de uma "tomada de Caracas" para uma "tomada da Venezuela".

  • Marcelo lembra como foi tratada a tragédia durante a ditadura
    2:25

    Tragédia em Pedrógão Grande

    Marcelo Rebelo de Sousa não quis comentar diretamente a polémica em torno da lista das vítimas mortais de Pedrógão Grande, mas recorreu às cheias de 1967 para lembrar como as tragédias eram tratadas no tempo da ditadura. O Presidente da República defendeu que não é possível esconder a dimensão de uma tragédia num regime democrático. Há 50 anos, Marcelo Rebelo de Sousa acompanhou de perto a forma como o regime tentou esconder a verdadeira dimensão do incidente.

  • Ministra admite falhas no SIRESP no presente e no passado
    2:35

    País

    A ministra da Administração Interna admitiu, esta quinta-feira, que o SIRESP falha no presente tal como já falhou no passado, quando a tutela pertencia ao Governo PSD. Os sociais-democratas quiserem ouvir Constança Urbano de Sousa na comissão parlamentar mas desta vez a ministra defendeu-se com um ataque. 

  • À descoberta de Dago, o destroço mais visitado em mergulho de profundidade
    13:51
  • Uma viagem aérea pela aldeia histórica de Monsanto
    0:50
  • Quase três mil toneladas de plástico ameçam tartarugas no Mediterrâneo
    2:35

    Mundo

    O Mar Mediterrâneo está sob a ameaça de se tornar uma lixeira com três mil toneladas de plástico a flutuarem entre a Europa e África. Há milhões de turistas a nadarem nestas águas e há espécies marinhas que já estão em perigo. No Chipre, os cientistas estão a tentar proteger tartarugas, cuja alimentação já é quase totalmente de plástico.

  • Deputado da Malásia diz que negar sexo ao marido é uma forma de abuso

    Mundo

    Um deputado malaio tem sido alvo de algumas críticas na internet, depois de ter dito que negar sexo a maridos é uma forma de abuso psicológico e emocional por parte das mulheres. As declarações de Che Mohamad Zulkifly Jusoh foram feitas durante um debate sobre as alterações às leis de violência doméstica, na quarta-feira.

    SIC