sicnot

Perfil

Desporto

Lutador Kimbo Slice morre aos 42 anos

O lutador de artes marciais mistas (MMA) Kimbo Slice, morreu esta segunda-feira aos 42 anos, segundo a confirmação do presidente da organização Bellator MMA.

Twitter Kimbo Slice

"Todos estamos comovidos e tristes pela perda devastadora e prematura de Kimbo Slice, um querido integrante da família Bellator. Perdemos um atleta com uma personalidade carismática tão grande que a sua vida transcende o desporto", declarou Scott Coker em comunicado oficial.

Não foi divulgada para já informação sobre a causa da morte de Kimbo Slice, que tinha sido hospitalizado por motivos desconhecidos, próximo da sua residência, no sul da Flórida, segundo a polícia de Coral Springs.

Slice, cujo nome verdadeiro é Kevin Ferguson, nasceu em Nassau, nas Bahamas, e frequentou a Universidade de Miami.

Kimbo Slice começou a ficar conhecido no mundo das lutas através de vídeos da internet com combates de rua.

A sua carreira no MMA foi dentro da categoria dos pesos pesados, com um recorde profissional de cinco vitórias (3 nocautes e 1 finalização) e duas derrotas.

  • BE diz que é urgente preparar o país para a saída do euro
    1:10

    País

    Catarina Martins diz que é urgente preparar o país para o cenário de saída do euro. No final da reunião da mesa nacional do Bloco de Esquerda, a coordenadora do partido criticou o encontro de líderes europeus em Roma e disse ainda que a Europa da convergência chegou ao fim.

  • "Mais UE não significa mais Europa"
    0:50

    País

    O secretário-geral do PCP insiste nas críticas à União Europeia. Um dia depois da comemoração dos 60 anos do Tratado de Roma, Jerónimo de Sousa defendeu, no Seixal, que o modelo europeu está esgotado e prejudica vários países, incluindo Portugal.

  • Aplicação WhatsApp acusada de permitir conversas secretas entre terroristas
    1:45
  • "Um Lugar ao Sol"
    17:05
    Perdidos e Achados

    Perdidos e Achados

    SÁBADO NO JORNAL DA NOITE

    O Perdidos e Achados foi conhecer como eram as férias de outros tempos. Quando o Estado Novo controlava o lazer dos trabalhadores e criava a ilusão de um país exemplar. Na Costa de Caparica, onde é hoje o complexo do INATEL estava instalada a maior colónia de férias do país, chamava-se "Um Lugar ao Sol".