sicnot

Perfil

Desporto

UEFA considera "absurdas" acusações de Blatter quanto a manipulação nos sorteios

A UEFA considerou "completamente absurdas" as acusações do ex-presidente da FIFA Joseph Blatter, segundo o qual haveria manipulação nos sorteios organizados pelo organismo europeu de futebol.

© Arnd Wiegmann / Reuters

"As acusações de que a UEFA terá tido sorteio arranjados são completamente absurdas e, por isso, não há nada a comentar a respeito", disse à agência EFE um porta-voz da UEFA.

Joseph Blatter revelou, numa entrevista publicada na segunda-feira pelo diário argentino La Nación, ter sido testemunha de sorteios na Europa em que se aqueciam e esfriavam as bolas que continham os nomes das equipas e garantiu que isso nunca aconteceu na FIFA.

"O sorteio da FIFA era limpo até ao último detalhe. Eu jamais toquei nas bolas, coisa que outros faziam. Podem-se sinalizar as bolas aquecendo-as ou esfriando-as. É tecnicamente possível. Fui testemunha em sorteios a nível europeu em que isso aconteceu", disse Blatter, garantindo que na FIFA, que dirigiu entre 1998 e 2015, "isso nunca se fez".

  • Autarca garante que não houve "touros de fogo"

    País

    O presidente da Câmara de Benavente disse esta segunda-feira à Lusa que a atividade "touros de fogo" foi retirada do programa da Festa da Amizade depois de recebido um parecer desfavorável da Direção-Geral de Veterinária.

  • Presidente do Brasil formalmente acusado de corrupção

    Mundo

    O Procurador-Geral da República do Brasil apresentou na noite de segunda-feira ao Supremo Tribunal Federal uma denúncia contra o Presidente Michel Temer e o ex-deputado Rodrigo Rocha Loures (PMDB-PR) pelo crime de corrupção passiva.

  • Reconquista de Mossul ao Daesh pode estar para breve
    1:27
  • Homem fala ao telefone com o filho que pensava estar morto

    Mundo

    Um norte-americano que tinha estado presente no funeral do filho recebeu, 11 dias depois, uma chamada telefónica de um homem que o pôs em contacto... com o filho que havia enterrado semana e meia antes. Tudo por causa de um erro do gabinete de medicina legal.