sicnot

Perfil

Desporto

Aministia Internacional preocupada com estado de calamidade no Rio de Janeiro

A Amnistia Internacional (AI) manifestou hoje preocupação pelo estado de calamidade pública decretado na sexta-feira pelo governador interino do Rio de Janeiro, que admitiu que a situação pode "agravar-se ainda mais" na saúde e na segurança.

© Sergio Moraes / Reuters

A menos de dois meses do início dos Jogos Olímpicos, cuja cerimónia inaugural está marcada para 05 de agosto no estádio do Maracanã, o Estado brasileiro do Rio de Janeiro encontra-se mergulhado numa das maiores crises financeiras da sua história.

Em comunicado, o diretor executivo da AI no Brasil, Atila Roque, alertou que a decisão tomada pelo governador Francisco Dornelles "abre espaço" para que haja restrições na prestação de serviços públicos, designadamente nas áreas da saúde e segurança pública.

Francisco Dornelles afirmou na sexta-feira que a decisão permite ao governo regional adotar medidas excecionais, com a obtenção de empréstimo e a celebração de contratos sem concurso públicos, para assim garantir a oferta e a "racionalização de todos os serviços públicos essenciais para a realização dos Jogos Olímpicos".

Atila Roque contrapõe que os "grandes eventos desportivos não podem realizar-se à custa da supressão de direitos" e pediu às autoridades do Rio de Janeiro que esclareçam a população local sobre quais são os "efeitos reais" desta medida na sociedade e no quotidiano das pessoas.

De acordo com a AI no Brasil, o que o Estado do Rio Janeiro necessita é garantir que as forças de segurança estão preparadas, por forma a não repetir as "violações dos Direitos Humanos" que a AI tem vindo a denunciar nos últimos anos.

"Não é hora de se esconderem atrás dos números, As autoridades do Rio de Janeiro têm a responsabilidade de garantir a segurança de todos. Se falhar na sua responsabilidade, só haverá mais dor e sofrimento", disse Roque.

O governo regional tem uma dívida pública de 66 mil milhões de reais (cerca de 16 mil milhões de euros) e neste momento faltam cerca de 19 mil milhões de reais (4.882 milhões de euros) para cumprir os seus compromissos este ano.

O Estado do Rio de Janeiro é um dos mais afetados pela atual crise económica que assola o Brasil, cuja economia completou dopis anos de recessão no primeiro trimestre de 2016.

Lusa

  • Militares tentam acabar com guerra entre traficantes na Rocinha, Rio de Janeiro
    3:07

    Mundo

    As últimas horas têm sido de tensão no Rio de Janeiro depois dos tiroteios que começaram desde que uma das principais favelas da cidade foi ocupada por militares na sexta-feira. As forças federais foram acionadas para auxiliarem a polícia, que há vários dias tenta acabar com a guerra entre fações de traficantes de droga.

  • Irão lança míssil de médio alcance
    1:13

    Mundo

    Três dias depois do discurso hostil de Donald Trump nas Nações Unidas, o Irão testou um novo míssil de médio alcance que atingiu uma altura de dois mil quilómetros. Teerão diz que o teste não viola o acordo nuclear.

  • Trump renovou as ameaças à Coreia do Norte
    1:30
  • Guterres apela à Coreia do Norte para cumprir resoluções

    Mundo

    O secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, apelou este sábado ao ministro do Exterior da Coreia do Norte, Ri Yong Ho, para o cumprimento das resoluções que o Conselho de Segurança impôs ao país em resposta à sua escalada armada.

  • Atrás das Câmaras em Pedrógão Grande
    3:37
    Atrás das Câmaras

    Atrás das Câmaras

    DIARIAMENTE NA SIC E SIC NOTÍCIAS

    A carrinha do "Atrás das Câmaras" continua pelo país a mostrar aquilo que alguns políticos ignoram. Este sábado a equipa da SIC esteve em Pedrógão Grande, 99 dias após o incêndio que fez 64 mortos e 200 feridos.

  • Morreu Charles Bradley, uma das lendas do soul

    Cultura

    O cantor Charles Bradley morreu este sábado aos 68 anos. O músico norte-americano foi diagnosticado com cancro no ano passado. A notícia da morte foi confirmada na página oficial do cantor no Facebook.