sicnot

Perfil

Desporto

Comité Olímpico adianta mais de 25 milhões de euros para concluir obras para o Rio 2016

O Comité Olímpico Internacional (COI) vai adiantar cerca de 100 milhões de reais (cerca de 26 milhões de euros) para ajudar à conclusão das obras dos Jogos Olímpicos Rio2016, revelaram fontes oficiais à Efe.

Os militares descartam qualquer ameaça pendente, tendo como alvo os Jogos Olímpicos no Rio de Janeiro em agosto deste ano. (Arquivo)

Os militares descartam qualquer ameaça pendente, tendo como alvo os Jogos Olímpicos no Rio de Janeiro em agosto deste ano. (Arquivo)

© Eric Gaillard / Reuters

O COI tinha previsto entregar alguns fundos em agosto, mas o "estado de calamidade pública", devido às dificuldades financeiras, decretado pelo estado do Rio de Janeiro, fez com que o organismo adiantasse algumas dessas verbas.

Hoje, o secretário executivo do Programa de Parcerias e Investimentos, Moreira Franco, disse que o governo Federal vai emprestar dinheiro ao Rio de Janeiro para não passar vergonha internacional durante os jogos Olímpicos e Paralímpicos.

"É necessário ajudar os servidores do Estado do Rio de Janeiro, não podemos 'pagar esse mico' [expressão que significa 'passar vergonha'] internacional. Assumimos compromissos para os Jogos Olímpicos na gestão anterior que não foram cumpridos", afirmou.

Na sexta-feira passada, a 49 dias do início dos Jogos, o governo do Rio de Janeiro decretou o "estado de calamidade" devido aos graves problemas financeiros que enfrenta.

Desde o final do ano passado, o Estado tem registado dificuldades em fazer os pagamentos devidos a trabalhadores e aposentados do setor público, e a manutenção de equipamentos de saúde, segurança e educação.

Lusa

  • Atacantes de Barcelona "não estão a caminho da nossa fronteira"
    7:00

    Ataque em Barcelona

    O diretor da Unidade Nacional de Contraterrorismo da Polícia Judiciária esteve esta sexta-feira no Jornal da Noite para falar sobre o duplo atentado em Espanha. Luís Neves diz que o nível de ameaça em Portugal, perante os ataques, não foi alterado porque "não se detectou que tenha existido informação que possa colocar o nosso território em perigo".