sicnot

Perfil

Desporto

Crime organizado está infiltrar-se no futebol europeu, alerta organismo internacional

Vários grupos de crime organizado estão a infiltrar-se no futebol europeu, sobretudo devido à falta de legislação, controlo e supervisão na modalidade, defendeu hoje o diretor executivo do Centro Internacional para a Segurança no Desporto (ICSS).

theicss.org

Em entrevista à agência EFE, o português Emanuel Medeiros afirmou que "existem exemplos de infiltração criminal no desporto, por vulnerabilidade, por falta de resposta legislativa e de supervisão financeira".

Emanuel Medeiros, que assumiu o cargo de diretor-executivo do ICSS em 2014, deu como exemplo o recente caso do União de Leiria que, segundo a Europol, desempenhava um papel de destaque num esquema criado pela máfia russa para branquear capitais através do futebol.

O presidente da Sociedade Anónima Desportiva (SAD) da União de Leiria, o russo Alexander Tolstikov, e o seu assessor, o moldavo Sergiu Renita, estão detidos preventivamente por suspeitas de associação criminosa e branqueamento de capitais.

Emanuel Medeiros considerou que as únicas tentativas de fazer face a este problema têm sido levadas a cabo pelas autoridades policiais e não por quem rege o futebol.

"Terá de ser o movimento desportivo a unir-se, deixando de trabalhar de forma fragmentada, para resolver problemas bastante complexos, que requerem uma intervenção conjunta de governos e reguladores", afirmou.

O diretor-executivo do ICSS abordou também o tema das apostas ilegais, "especialmente relevante nos países asiáticos", e defendeu um reforço da cooperação internacional para fazer face ao problema.

  • Famílias das vítimas de Pedrógão criam associação para apurar responsabilidades
    2:13
  • Polícias ameaçam com protestos no arranque do campeonato
    1:24

    País

    Os agentes da PSP ameaçam boicotar a presença nos jogos do campeonato da Primeira e Segunda ligas que começam em 15 dias. Os agentes colocam em causa o atual modelo de policiamento no futebol, que faz com que muitos dos profissionais da PSP trabalhem sem remuneração em dia de folga.

  • 700 milhões para armamento e equipamento militar
    1:16

    País

    Portugal vai investir nos próximos anos 700 milhões de euros em armas e equipamento militar. Segundo a imprensa de hoje, o objetivo é colocar algumas áreas das Forças Armadas a um nível similar ao dos outros aliados da NATO. É o maior volume de programas de aquisição dos últimos anos e parte das verbas vão beneficiar a indústria portuguesa que fabrica aviões, navios-patrulha, rádios e sistemas de comando e controlo.

  • Princesa Diana morreu há 20 anos. Filhos falam pela 1ª vez da intimidade
    1:15