sicnot

Perfil

Desporto

João Sousa congratula-se por vitória em partida "muito exigente"

O tenista português João Sousa congratulou-se hoje pela sua qualificação para a segunda eliminatória de Wimbledon, ao derrotar o russo Dmitry Tursunov numa partida "muito exigente a nível físico e mental".

Arquivo Lusa

"Foi um encontro muito suado, muito exigente a nível físico e mental. Penso que a nível mental estive bem durante todo o encontro. Estive várias vezes em situação desfavorável e consegui dar a volta e estou muito contente por ter tido essa frieza de estar sempre a lutar pelo encontro", disse, em declarações divulgadas pela assessoria de imprensa do tenista.

João Sousa, 31.º pré-designado, qualificou-se hoje pela primeira vez para a segunda eliminatória de Wimbledon, ao vencer o russo Dmitry Tursunov na ronda inaugural do terceiro 'Grand Slam' de ténis de 2016.

Depois de ter perdido na primeira eliminatória do torneio inglês nos dois anos anteriores (2014 e 2015), Sousa conseguiu, à terceira tentativa, vencer um encontro na relva londrina, após uma 'maratona' de cinco 'sets', pelos parciais de 3-6, 7-6 (7-2), 4-6, 6-3 e 7-5, em três horas e 13 minutos.

O tenista natural de Guimarães perdeu o 'set' inicial, mas ganhou um importante 'balão de oxigénio' ao vencer o segundo no 'tie-break', e, apesar de cedido o terceiro parcial, impôs-se nos dois últimos, fechando o encontro ao quebrar o serviço de Tursunov.

Sousa, que há um mês estabeleceu a melhor classificação de sempre de um jogador português no 'ranking' mundial, ao ser 28.º classificado -- atualmente ocupa o 31.º lugar -, voltou a ultrapassar a primeira barreira de um 'major' neste ano, depois de já ter atingido a segunda eliminatória em Roland Garros (França).

"Mais uma vitória num 'Grand Slam' e sem dúvida especial por ter sido aqui em Wimbledon, um torneio tão emblemático", declarou.

Sousa, de 27 anos, que se tornou o primeiro tenista português com estatuto de cabeça de série em Wimbledon, vai defrontar na segunda ronda o norte-americano Dennis Novikov, 145.º da hierarquia, que se impôs ao australiano Luke Saville em quatro 'sets', por 4-6, 6-4, 7-5 e 6-4.

Lusa

  • Artista que criou poster de Obama quer invadir EUA com símbolos de esperança

    Mundo

    Shepard Fairey - o artista por trás do tão conhecido cartaz vermelho e azul "Hope" de Barack Obama, durante a campanha eleitoral de 2008 nos EUA - produziu uma série de novas imagens a tempo da tomada de posse de Donald Trump, na sexta-feira. Agora, o artista e a sua equipa querem manifestar uma posição política com a campanha "We The People", contra as ideias que o Presidente eleito tem defendido.

  • Trabalhadores da saúde iniciam greve nacional

    País

    Trabalhadores da saúde estão esta sexta-feira a cumprir uma greve a nível nacional para reivindicar a admissão de novos profissionais, exigir a criação de carreiras e a aplicação das 35 horas semanais a todos os funcionários do setor.

  • Portugal a tremer de frio
    3:07

    País

    Portugal continua a registar temperaturas negativas, sobretudo no Norte do país. Em Trás-os-Montes, por exemplo, marcaram mínimas de 11 graus abaixo de zero e os termómetros desceram tanto que congelaram rios, canalizações de água e até aquecimentos de escolas. Mas nem tudo é mau pois os produtores falam em boa época para curar fumeiro.

  • Juiz brasileiro morto em acidente aéreo investigava corrupção na Petrobras
    1:28
  • Zoo da Indonésia acusado de querer matar ursos à fome

    Mundo

    Um grupo de ativistas da Indonésia acusa o Jardim Zoológico de Bandung de estar a matar à fome os seus animais, incluindo os ursos-do-sol, para ser fechado. Um vídeo recentemente publicado mostra os ursos, que aparecem muito magros e a implorar por comida.

  • Podem as plantas ver, ouvir e até reagir?

    Mundo

    Um professor de Ciências Vegetais da Universidade de Missouri, nos Estados Unidos, passou quatro décadas a investigar as relações entre vegetais e insetos. Na visão de Jack Schultz, as plantas são "como animais muito lentos", que conseguem ver, ouvir, cheirar e até têm comportamentos próprios.