sicnot

Perfil

Desporto

Obras do metro para os Jogos Olímpicos podem parar por falta de verbas

O secretário dos Transportes do Estado do Rio de Janeiro, Rodrigo Vieira, disse hoje à RJTV que a obra da linha 4 do metropolitano da cidade, essencial para os Jogos Olímpicos Rio2016, pode parar a qualquer momento.

© Ricardo Moraes / Reuters

Segundo Rodrigo Vieira, citado pela RJTV, o Estado do Rio de Janeiro perdeu todos os prazos para os pagamentos e a dívida já chega a 350 milhões de reais (97,2 milhões de euros).

A declaração surgiu depois de, na terça-feira, a Secretaria do Tesouro Nacional ter informado que não será concedido ao Estado do Rio de Janeiro, que enfrenta uma grave crise financeira, aval para a contratação de um empréstimo de 989 milhões de reais (263 milhões de euros) para terminar a obra.

Segundo a RJTV, o secretário de Fazenda (Finanças) do Rio de Janeiro, Júlio Bueno, encontra-se na capital do país, Brasília, para tentar resolver o impasse.

No total, 6.000 pessoas trabalham na expansão do metropolitano.

Na semana passada, a Secretaria dos Transportes do Estado do Rio de Janeiro disse à agência Lusa que 96% das obras já estavam concluídas e que a linha 4 seria inaugurada a 1 de agosto.

Os Jogos Olímpicos Rio2016 começam a 5 de agosto e terminam no dia 21 do mesmo mês.

Lusa

  • Passos Coelho pede desculpa aos portugueses
    3:35
  • População afetada pelo fogo tenta repor o que as chamas destruíram
    1:54
  • "Juntos por Todos" hoje no palco em Lisboa
  • Glifosato na lista de produtos cancerígenos na Califórnia

    Mundo

    O estado norte-americano da Califórnia, nos Estados unidos, pode vir a obrigar o fabricante do popular herbicida Roundup a comercializar o produto com um rótulo que informe os consumidores de que o produto é cancerígeno. O glifosato, princípio ativo do herbicida Roundup fabricado pela Monsanto, consta de uma lista que vai ser divulgada na Califórnia, a 7 de julho, de produtos químicos potencialmente cancerígenos.

  • Pyongyang compara Trump a Hitler

    Mundo

    A Coreia do Norte compara o Presidente norte-americano Donald Trump a Adolf Hitler. Pyongyang já acostumou o mundo à sua linguagem "colorida" quando critica os seus inimigos. Mas comparações com o responsável por mais de 60 milhões de mortes são muito raras.

  • Autarca garante que não houve "touros de fogo"

    País

    O presidente da Câmara de Benavente disse esta segunda-feira à Lusa que a atividade "touros de fogo" foi retirada do programa da Festa da Amizade depois de recebido um parecer desfavorável da Direção-Geral de Veterinária.