sicnot

Perfil

Desporto

João Sousa eliminado na terceira ronda de Wimbledon

O tenista português João Sousa caiu hoje na terceira ronda de Wimbledon, ao perder com o checo Jiri Vesely, em três sets.

© Stefan Wermuth / Reuters

Vesely não deu hipóteses ao número um nacional e 31.º jogador mundial, impondo-se por 6-2, 6-2 e 7-5, em uma hora e 33 minutos.

No 'court' 1 do All England Club, o checo esteve indomável no serviço, ganhando 83% pontos no primeiro serviço, 80 no segundo e 'oferecendo' apenas um ponto para quebra de serviço, que o vimaranense não concretizou.

Sem argumentos para poder contrariar a assertividade do 64.º tenista do 'ranking, Sousa mostrou-se longe do seu melhor nível e nem uma subida de rendimento no terceiro parcial conseguiu ajudá-lo a evitar a derrota.

No entanto, a queda face a Vesely, que já tinha surpreendido ao eliminar o número oito mundial, o austríaco Dominic Thiem, na segunda ronda, não menoriza o desempenho do melhor tenista português de sempre na relva londrina.

O português, 31.º cabeça de série, alcançou o seu melhor resultado de sempre em Wimbledon e igualou os seus melhores resultados em torneios do 'Grand Slam' (também chegou à terceira ronda no Open dos Estados Unidos, em 2013, e no Open da Austrália, em 2015 e 2016).

Com a despedida de João Sousa, eliminado pelo 64.º tenista do 'ranking, o terceiro 'Grand Slam' londrino fica sem representação portuguesa.

Lusa

  • Autoridades garantem ter evitado novo ataque terrorista em Londres
    0:59

    Mundo

    A polícia britânica garante que evitou um novo atentado em Londres. Mulher baleada faz parte das oito pessoas que foram detidas numa operação antiterrorista na capital britânica e no sul de Inglaterra. A operação realizou-se após a detenção de um homem com três facas, nas imediações do Parlamento britânico.

  • Polícia espanhola divulga imagens de operação anti-jihadista

    Mundo

    A polícia espanhola divulgou esta sexta-feira novas imagens da operação anti-jihadista levada a cabo na terça-feira em Barcelona. Sabe-se agora que dois dos nove suspeitos detidos podem estar relacionados com a célula terrorista de Bruxelas, responsável pelos ataques no Aeroporto de Zaventem e no metro da capital belga.