sicnot

Perfil

Desporto

FIFA reduz suspensão de Jérôme Valcke e Chung Mong-joon

A Federação Internacional de Futebol (FIFA) reduziu a suspensão do antigo secretário-geral Jérôme Valcke, de 12 para 10 anos, e a do vice-presidente Chung Mong-joon, de seis para cinco anos.

Mong-joon

Mong-joon

© Kim Hong-Ji / Reuters

Valcke, que foi o 'braço direito' do ex-presidente Joseph Blatter durante quase uma década, foi afastado em janeiro e banido, no seguimento de investigações que revelaram o seu envolvimento num esquema de venda ilegal de bilhetes para o Mundial2014.

Chung, antigo vice-presidente do organismo, foi considerado culpado de ter violado cinco artigos do código de ética no processo de atribuição das organizações dos Mundiais de 2018, à Rússia, e 2022, ao Qatar.

O Comité de Apelo confirmou que Valcke é culpado numa série de ações, mas entendeu que "os factos atenuantes não foram completamente tidos em conta" na decisão que levou à sua suspensão.

A procuradoria suíça abriu também uma investigação criminal em relação ao antigo secretário-geral, no âmbito de "vários atos de gestão criminal e danosa".

Quanto a Chung, bilionário da família Hyundai, chegou a ser candidato à presidência da FIFA, mas retirou-se da corrida, que viria a ser ganha pelo antigo secretário-geral da UEFA, o suíço Gianni Infantino.

O sul-coreano acusou a FIFA de "sabotagem", depois de ter sido suspenso em outubro do último ano, ainda antes do ato eleitoral.

O Comité de Apelo considerou que a prova contra Chung "não foi suficiente" para suportar uma suspensão de seis anos e a multa foi também reduzida de 100.000 (92.000 euros) para 50.000 francos suíços (46.000 euros).

Lusa

  • Destaques económicos que marcaram a semana
    2:03

    Economia

    A semana ficou marcada pela tragédia provocada pelos incêndios no centro do país. No entanto importa olhar para o que se passou noutras áreas e fazer um resumo das notícias relacionadas com a economia. 

  • Quer conhecer os cães mais feios do mundo?
    1:15

    Mundo

    Na Califórnia, nos Estados Unidos, já foi eleito o cão mais feio do mundo de 2017, num concurso que se repete há 29 anos. Com 57 quilos, Martha recebeu a distinção enquanto ressonava no palco.