sicnot

Perfil

Desporto

Ex-dono do Birmingham City regressa à prisão após perder recurso em Hong Kong

Carson Yeung, antigo dono do clube britânico Birmingham City, condenado por lavagem de dinheiro, vai cumprir o resto da pena de prisão depois de hoje ter perdido o recurso interposto no Tribunal de Última Instância de Hong Kong.

Reuters

Carson Yeung, de 56 anos, começou a cumprir uma pena de seis anos de prisão em março de 2014, após declarado culpado de lavagem de dinheiro no valor de 721 milhões de dólares de Hong Kong (84,1 milhões de euros ao câmbio atual) entre 2001 e 2007.

No verão do ano passado, foi libertado sob fiança, depois de o Tribunal de Última Instância ter aceitado que contestasse a sentença.

Contudo, hoje, o seu recurso foi indeferido, pelo que Carson Yeung regressou à prisão para cumprir a pena, noticia a imprensa da antiga colónia britânica.

O empresário foi acusado em junho de 2011, menos de dois anos depois de ter adquirido o Birmingham City, em outubro de 2009.

Carson Yeung começou a trabalhar em Inglaterra aos 16 anos, em 1977, e regressou três anos depois à província chinesa de Guangdong, adjacente a Macau e a Hong Kong, mais propriamente à cidade de Dongguan para trabalhar no setor imobiliário.

A origem da sua fortuna não é totalmente conhecida, mas sabe-se que em 1994 abriu um salão de cabeleireiro numa zona de comércio e lazer de Hong Kong, em Tsim Sha-tsui, e que fez alguns investimentos em Macau, em projetos relacionados com casinos.

  • Trump cria linha de apoio a vítimas de "extraterrestres criminosos"

    Mundo

    Quando o Governo norte-americano usa o termo "extraterrestre criminoso", refere-se a alguém que não é cidadão dos Estados Unidos da América e que foi condenado por um crime. Quando a mesma expressão é usada pelos utilizadores do Twitter, o significado é completamente diferente. Os internautas pensam na série Ficheiros Secretos e em discos voadores. Por isso, o lançamento de uma linha telefónica, por parte da Casa Branca, para as vítimas de "extraterrestres criminosos" só podia dar em confusão.

  • Casados há 69 anos, morrem de mãos dadas com 40 minutos de diferença

    Mundo

    Isaac Vatkin, de 91 anos, morreu cerca de 40 minutos depois de Teresa, de 89 anos, no passado sábado no Highland Park Hospital, no estado norte-americano Ilinóis. "Não queríamos que fossem embora, mas não podíamos pedir que partíssem de melhor maneira", afirmou o neto William Vatkin. O casal morreu no hospital poucos dias depois de celebrarem 69 anos de casados.