sicnot

Perfil

Desporto

Van den Broeck deverá abandonar Volta a França depois de fraturar o ombro

O ciclista belga Jurgen Van den Broeck deverá abandonar a Volta a França, depois de ter fraturado o ombro, anunciou a sua equipa russa Katusha antes do início, hoje, da 12.ª etapa da prova em Montpellier.

© Bogdan Cristel / Reuters

Van den Broeck sofreu uma queda na quarta-feira na primeira parte da 11.ª etapa do Tour, entre Carcassonne e Montpellier, ficando relegado para a 137.ª posição, a três minutos e meio do vencedor, Peter Sagan.

"O início da etapa foi extremamente nervoso. Estava a lutar para manter a minha posição (...) sofri um 'toque' de outro ciclista na roda dianteira e cai da bicicleta. Não entrei em pânico de imediato, porque me parecia uma queda normal, mas senti uma forte dor no ombro quando voltei a pedalar", disse o ciclista belga, de 33 anos, num comunicado do anúncio da equipa.

"Depois da chegada, as radiografias mostraram que tinha sofrido uma fratura. Os médicos disseram-me que o tratamento poderá demorar várias semanas, mas vou precisar ainda de mais tempo para recuperar mentalmente. Já tive muitos azares na minha carreira", disse Van den Broeck, que participa pela sétima vez na Volta à França (com três desistências).

Van den Broeck esteve por duas vezes entre os cinco primeiros da geral (foi terceiro em 2010 e quarto em 2012).

Antes da 12.ª etapa, que vai ligar Montpellier a Chalet Reynard pelas encostas do Monte Ventoux, o belga ocupava o 21.º lugar da classificação geral -- a 09.20 minutos de Chris Froome (Sky).

"Dói-me muito não ser capaz de ajudar a equipa Katusha nas montanhas", afirmou, referindo-se à etapa de hoje.

O abandono será o segundo para a equipa russa, depois do de Danois Michael Morkov nos Pirenéus.

Lusa

  • "O que é isto, mamã?"
    36:23
  • O ensino à distância em Portugal
    4:12

    País

    Em Portugal, o ensino básico e secundário à distância já conta com 300 alunos e com a preciosa ajuda das novas tecnologias. É através do computador que a escola viaja e acompanha os alunos, alguns com doenças que não os permitem ir às aulas, outros que são atletas de alta competição e que têm a maior parte do tempo ocupado por treinos ou ainda os que fazem parte de famílias itenerantes, como é o caso dos que vivem no circo e andam de terra em terra.

  • Aprender a jogar badminton ao ritmo do samba
    2:54

    Mundo

    No Brasil, a correspondente da SIC foi conhecer um projeto social no Rio de Janeiro que mistura samba e desporto. Um desporto que ainda é pouco praticado mas que tem sido fundamental para transformar a vida de jovens das favelas e para descobrir novos talentos do badminton brasileiro.

    Correspondente SIC