sicnot

Perfil

Desporto

Mourinho estreia-se no United com vitória por 2-0 sobre o Wigan Athletic

José Mourinho estreou-se hoje no comando técnico do Manchester United com uma vitória à frente ao Wigan Athletic, recém-promovido à I Liga inglesa de futebol, por 2-0.

© Reuters Staff / Reuters

Os dois golos foram marcados no início do segundo tempo por Will Keane e Andreas Pereira, numa vitória confortável a despeito de José Mourinho não poder contar com 14 jogadores que estiveram a representar os seus países, quer no Euro2016 quer na Copa América, e que ainda não estão à disposição do técnico português.

No entanto, não deixa de ser um arranque vitorioso de José Mourinho, cujo nome foi entoado pelos cerca de 5.500 adeptos dos 'red devils' presentes no estádio do Wigan durante o primeiro minuto da partida.

O primeiro golo do United resultou de uma oferta do guarda-redes do Wigan, Jussi Jääskeläinen, que deixou a bola ao alcance de Juan Mata, que cedeu a bola a Keane finalizar.

Dez minutos mais tarde, o United ampliou a vantagem com um golo que resultou claramente de uma jogada trabalhada por Mourinho na primeira semana de treinos, um livre cobrado por Juan Mata para a zona de penálti, onde surgiu Ander Herrera, cujo remate foi defendido pelo guarda-redes do Wigan, proporcionando a recarga vitoriosa do brasileiro Andreas Pereira.

De resto, foi um jogo típico de pré-época, com Mourinho a proceder a sete substituições ao intervalo e a terminar o jogo com um 'onze' totalmente diferente do que iniciou a partida.

De salientar que um dos reforços escolhidos por José Mourinho, o central da Costa do Marfim Bailly, proveniente do Villarreal, de Espanha, jogou mais tempo do que todos os outros, justamente 82 minutos.

Mourinho vai ter à sua disposição os 14 internacionais cedidos às respetivas seleções antes da partida de terça-feira para a China, onde os 'red devils' vão defrontar o Borússia Dortmund, em Xangai, e o Manchester City, em Pequim.

Alguns desses 14 internacionais, nomeadamente os ingleses Chris Smalling, Wayne Rooney e Marcus Rashford, já viajarão para a China, mas Mourinho já fez saber que não os irá utilizar nos dois jogos, enquanto o internacional sueco Zlatan Ibrahimovic irá permanecer em Manchester para cuidar da sua condição física.

Lusa

  • Não houve negligência médica no caso do jovem que morreu em São José
    2:33

    País

    Afinal, não houve negligência médica no caso do jovem que morreu há cerca de um ano no Hospital de São José, vítima de um aneurisma. Esta é a conclusão da Ordem dos Médicos e dos peritos do Instituto de Medicina Legal. Segundo o jornal Expresso, todos os relatórios relatórios pedidos pelo Ministério Público e pelo Centro Hospitalar de Lisboa Central dizem que o corpo clínico do hospital não teve responsabilidades na morte de David Duarte.

  • Jovens estariam de fones e poderão não ter ouvido comboio a aproximar-se
    1:47

    País

    As adolescentes, de 13 e 14 anos, encontradas mortas junto à linha do norte perto de Coimbra podem não ter ouvido a aproximação do comboio, uma vez que estariam de auriculares. Os corpos só foram descobertos 36 horas depois do desaparecimento das jovens, aparentemente vítimas de um descuido fatal.

  • Patti Smith engana-se na música de Bob Dylan durante cerimónia dos Nobel
    1:49

    Mundo

    Os prémios Nobel deste ano já foram entregues. Bob Dylan não compareceu à entrega do galardão da Literatura e fez-se representar pela amiga Patti Smith, que teve um bloqueio enquanto cantava "A Hard Rain's A-Gonna Fall" do músico. O Presidente da Colômbia Juan Manuel dos Santos foi distinguido com o Nobel da paz pelo acordo que alcançou com as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia.

  • CIA acredita que Trump foi ajudado por piratas informáticos russos
    1:24

    Eleições EUA 2016

    As eleições nos Estados Unidos da América já terminaram e o Presidente está eleito. Contudo, Barack Obama quer saber se os russos tentaram mesmo influenciar o voto e ao mesmo tempo perceber o que os serviços secretos aprenderam com todas as fugas de informação durante a campanha. Já a CIA diz não ter dúvidas: para os serviços secretos norte-americanos, Donald Trump foi ajudado por piratas informáticos.